Os riscos à segurança hídrica de Belo Horizonte serão discutidos na Câmara Municipal, nesta quarta-feira (29), em função da concessão da licença de instalação da Taquaril Mineração S.A (Tamisa) na Serra do Curral.

A audiência foi marcada a pedido da vereadora Duda Salabert, (PDT) por entender que o projeto tem controvérsias e irregularidades e sua implantação colocaria em risco o abastecimento hídrico da capital e a disponibilidade hídrica do Rio das Velhas.

Para o engenheiro ambiental e ativista, Felipe Gomes, do Tira o Pé da Minha Serra, o projeto traz graves riscos a segurança hidrica de Belo Horizonte porque a adutora que traz 70% da água da capital e 45% da RMBH passa dentro da área da Tamisa.

Segundo o emgenheiro ambiental, o próprio estudo ambiental mostra que existe risco de rompimento dessa adutora e não há um plano de contigência e de emergência, em caso de rompimento da adutora.

De acordo com o projeto licenciado, haverá a instalação de 3 bacias de sedimentos. O projeto é alvo de uma ação judicial movida pela Prefeitura de Belo Horizonte.

Na lista de convidados com 14 pessoas está o prefeito da Capital, Fuad Noman; Marília Carvalho Melo, Secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustável (Semad) ; Marcelo da Fonseca, Diretor Geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas e Leandro Amorim – Representante da Taquaril Mineração S.A (TAMISA).

Procurada a Mineradora Tamisa, não retornou.


Paola Tito