O Senado realiza nesta segunda-feira (22), às 10h, sessão especial destinada a celebrar o 64º aniversário de Brasília, por iniciativa da senadora Leila Barros (PDT-DF) e do senador Izalci Lucas (PL-DF).

No requerimento para a realização da sessão, Leila Barros destaca que Brasília, passados 64 anos de sua criação, é hoje uma das maiores metrópoles do país e Patrimônio da Humanidade.

“Idealizada ainda no final do século 19, sonhada por Dom Bosco, planejada e desenhada por Lúcio Costa e Oscar Nyemeyer e realizada por Juscelino Kubitschek, Brasília celebra em 21 de abril de 2022, 64 anos de existência. A capital de todos os brasileiros, ícone da arquitetura e urbanismo, completa mais um aniversário. E o que antes foi um sonho distante, iniciado com a Missão Cruls, se transformou numa cidade considerada patrimônio mundial pela Unesco, possuidora da maior área tombada do mundo. Para muito além de um projeto visionário, Brasília se transformou em uma cidade grande, a terceira mais populosa do país, com mais de 3 milhões de habitantes, com uma área metropolitana que possui a quinta maior concentração populacional do país, com mais de 4,2 milhões de pessoas”, destaca Leila no requerimento (RQS 58/2024).

Izalci, por sua vez, destaca que a capital do Brasil foi o primeiro núcleo urbano construído no século XX a ser incluído na lista de bens de valor universal, recebendo o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1987, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

“O reconhecimento de seu valor patrimonial fundamentou-se no plano urbanístico de Lúcio Costa, concebido em quatro escalas estruturais: a Monumental – compreendida em todo o Eixo Monumental e que abriga a alma político-administrativa do país; a Gregária — representada por todos os setores de convergência da população; a Residencial — composta pela Superquadras Sul e Norte — e a Bucólica — que permeia as outras três, por se destinar aos gramados, praças, áreas de lazer, orla do lago Paranoá e aos jardins tropicais de Burle Marx. Da interação dessas quatro escalas nasceu uma cidade que ‘sendo monumental’ é também cômoda, eficiente, acolhedora e íntima. É ao mesmo tempo, derramada e concisa, bucólica e urbana, lírica e funcional”, conclui Izalci em seu requerimento (RQS 1128/2023).

 

Fonte: Agência Senado