Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Por Fábio Pescarini e Aldredo Henrique

Uma explosão em um colégio particular na Vila Sônia, na zona oeste de São Paulo, feriu ao menos nove alunos e uma professora, de 22 anos, segundo afirmou a SSP (Secretaria da Segurança Pública), no início da noite desta terça-feira (8).

Mais cedo, os bombeiros haviam informado que estavam feridas quatro crianças e a docente. As idades dos estudantes não foram divulgadas.

A explosão, na rua Aparaó, ocorreu por volta das 13h30 desta terça. Os bombeiros investigam as causas do acidente. Três viaturas foram enviadas até o local.

Dois alunos foram socorridos pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) com queimaduras de primeiro e de segundo graus para o Hospital Municipal do Campo Limpo e para o Hospital Lefort, ambos na região. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram enviadas 11 ambulâncias ao local.

A pasta não confirmou se a criança levada para o hospital público ficou internada. Procurada por telefone, a unidade do Hospital Lefort no Morumbi não informou o estado da criança.

“Nos demais atendimentos não houve necessidade de encaminhamento para unidades de saúde”, afirmou a secretaria, em nota.

De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, a Defesa Civil esteve no local e não constatou a necessidade de interdições. Segundo os bombeiros, não houve abalo na estrutura.

Conforme a pasta estadual da Segurança Pública, funcionários da escola disseram que a professora realizava uma experiência com ácido sulfúrico no laboratório de química, quando a substância teria espirrado no rosto dela e de alguns alunos que acompanhavam a aula.

No local funciona o colégio CSA Souza e Almeida, que adota o material pedagógico do Sistema de Ensino Objetivo. Por meio de nota, a escola lamentou e explicou o incidente.

“Uma professora do Ensino Fundamental, no intuito de mostrar a importância da ciência, levou as crianças até o laboratório. A professora de química, do laboratório, tentou mostrar um experimento, porém, não aconteceu da melhor maneira, infelizmente”, diz a instituição. “Imediatamente, acionamos o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência)”, completa.

Ainda na nota, a escola afirma que “todos estão bem, felizmente”.

Segundo a polícia, o caso foi registrado como lesão corporal no 34º DP.

As aulas para o ano letivo de 2022 nas redes particular e estadual começaram na semana passada em São Paulo.

Confira a íntegra da nota do colégio:​

Na data de hoje, ocorreu um triste fato no laboratório de química, durante uma aula que estava sendo ministrada nesta escola, CSA Souza e Almeida, que adota o material pedagógico do Sistema de Ensino Objetivo.

Sempre tivemos todo o cuidado em garantir o bem-estar de nossos alunos, em qualquer um de nossos ambientes escolares. O laboratório de química conta com dois professores responsáveis, e um sempre acompanha e auxilia o outro durante as aulas.

Uma professora do ensino fundamental, no intuito de mostrar a importância da ciência, levou as crianças até o laboratório. A professora de química, do laboratório, tentou mostrar um experimento, porém, não aconteceu da melhor maneira, infelizmente.

Imediatamente, acionamos o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Os socorristas prestaram atendimento à professora e a quatro alunos, que foram atingidos pela experiência. Todos estão bem, felizmente.

A direção desta escola lamenta profundamente o fato e reitera que está à disposição das autoridades públicas competentes, para auxiliar na elucidação de todo o contexto.​

Fonte: Folhapress


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.