Muitos bolsonaristas estão aproveitando a proximidade do feriado de 7 de setembro, o Dia da Independência do Brasil, para pregar um boicote aos tradicionais desfiles promovidos pelo Exército na data comemorativa.

Nas redes sociais, tem sido recorrente a associação das Forças Armadas com uma melancia. Sim, a fruta. Principalmente nos últimos meses, desde que Jair Bolsonaro (PL) perdeu as eleições presidenciais, o termo tem sido usado para se referir de maneira pejorativa a oficiais do Exército brasileiro.

Mas, por quê?

Verde por fora, vermelha por dentro. A comparação é literal: a melancia é verde por fora — cor associada ao patriotismo e que remete ao uniforme dos militares — e vermelha por dentro — tom atribuído ao comunismo e também ao PT.

O termo, que se tornou mais popular em meio à polarização, é visto como um insulto político pelos militares, já que sugere que o Exército teria um viés comunista.

O próprio ex-presidente já usou o termo, em publicação na rede social X, o antigo Twitter, em julho de 2019. “Sem querer descobrimos um melancia, defensor da Guerrilha do Araguaia, em pleno século 21”, escreveu ao se referir a um general.

Agora, muitas postagens a favor do boicote aos tradicionais desfiles da independência pelo país trazem a imagem da fruta como referência. Nos últimos dias, postagens nas redes sociais não só do Exército, mas também da Marinha e da Aeronáutica, receberam centenas de comentários.


Avatar

administrator