Em reunião na segunda-feira (11) em São Paulo, o grupo de membros do PSDB que apoiam a pré-candidatura de Eduardo Leite (PSDB-RS) à Presidência pelo partido lançou o nome de José Aníbal, ex-presidente da sigla, para disputar o Senado em 2022.

Aníbal assumiu vaga no Senado de agosto de 2021 até fevereiro de 2022, período em que José Serra ficou afastado para tratar de problemas de saúde.

A ideia é a de que ele seja um representante do grupo chamado “Raiz Social-Democrata”, que se propõe a recuperar as tradições do PSDB —que, na visão deles, têm sido deturpadas por João Doria (PSDB).

Aníbal disse à coluna Painel, da Folha de S.Paulo, que é tradição do PSDB ter candidatos ao Senado e que considera o convite uma distinção, mas que a concretização ou não da candidatura não depende só dele.

Entre os membros do grupo estão o prefeito de Santo André, Paulo Serra, o vice-prefeito de Capão Bonito, Roberto Tamura, além de deputados e vereadores. O encontro contou com cerca de 100 pessoas.

Na reunião, o grupo definiu também que apoiará Rodrigo Garcia (PSDB) na eleição ao Governo de São Paulo. O entendimento é o de que ele tem perfil diferente do de Doria e que sua vitória seria importante para o partido no estado.

Na disputa federal, eles decidiram apoiar a definição de uma candidatura única da chamada “terceira via”, que tem sido costurada por PSDB, MDB, Cidadania e União Brasil.

Eles acreditam que essa configuração pode tirar Doria da disputa, já que as lideranças das siglas têm manifestado preferência por Leite, e enterrar o resultado das prévias tucanas, que deram a vitória ao ex-governador paulista.

Como mostrou a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou em um encontro com empresários do grupo Esfera Brasil que a aliança com outros partidos “é maior” do que as prévias da legenda.

Fonte: Folhapress