A riqueza mineral brasileira também foi pauta do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Entre os seminários e painéis de debate do evento, Silveira se reuniu nesta quinta-feira (18/1) com o ministro de Indústria e Mineração da Arábia Saudita, Bandar Alkhorayef, e apresentou as oportunidades para investimentos em mineração sustentável no Brasil, principalmente nos minerais críticos, fundamentais para a transição energética.

Além da liderança brasileira na produção de energia limpa e renovável, todos reconhecem o potencial mineral do nosso país. Estamos avançando na regulação do solo brasileiro para garantir a atividade de forma sustentável e segura. Com isso, o Brasil se torna atrativo para investimentos internacionais nesta janela da transição energética, uma vez que as terras raras e os minerais críticos como o lítio e o nióbio, por exemplo, são fundamentais neste processo. Queremos uma atividade que traga, principalmente, desenvolvimento econômico e social para brasileiras e brasileiros”, destacou Alexandre Silveira.

O Brasil possui grandes reservas dos minerais essenciais para a transição energética, com cerca de 1,2 milhão de toneladas de lítio, a maior reserva mundial de nióbio, a terceira maior de grafita, níquel e terras raras, além da grande quantidade de cobre, cobalto, e outros minerais estratégicos.

Além do trabalho para fortalecer a Agência Nacional de Mineração (ANM), uma das ações do Ministério de Minas e Energia é a formulação de um Decreto com o objetivo de promover o conhecimento geológico e desenvolver a indústria brasileira de transformação dos minerais estratégicos. O documento, que está sendo construído com o apoio de outros órgãos, trará, entre outras ações, oferta de crédito para investimento em pesquisa mineral, formação de mão de obra especializada, entre outras diretrizes.

O ministro destacou a disposição dos sauditas em desenvolver a mineração no Brasil, reconhecendo o papel de destaque do país na liderança mundial da transição energética. Segundo ele, foi discutida a ideia da criação de um fundo de investimentos voltado para o país.

“O nosso objetivo é desenvolver uma indústria robusta de transformação mineral. Com parcerias globais, cooperação entre entidades públicas e privadas, projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, em colaboração com entidades educacionais, conseguiremos ter uma abordagem integrada para fortalecer o país como um dos líderes mundiais da indústria mineral”, finalizou Silveira.


Avatar

administrator