Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encontrou 939 links potencialmente suspeitos de comércio irregular de autotestes de Covid-19 no Brasil em três semanas. Dados obtidos pelo GLOBO mostram que, desse total, a triagem final chegou a 17 anúncios de produtos falsos, já derrubados da internet a pedido do órgão sanitário.

Há preocupação da agência com o risco de comercialização de autotestes falsificados ou sem registro do órgão no contexto de uma pandemia ainda em curso.

Segundo a gerente-geral de Inspeção e Fiscalização de Produtos para Saúde da Anvisa, Ana Carolina Moreira Marino, a facilidade de uso desse tipo de exame tende a atrair muitos consumidores, que devem ficar atentos a anúncios suspeitos:

— Nossa preocupação com os produtos falsificados é pensando no cenário epidemiológico. Um produto sem registro não tem garantia de que funcione. Então a gente vislumbra um teste que possa dar um falso negativo e uma pessoa contaminada vai continuar circulando e espalhando o vírus — afirma Marino.

Com o aval da Anvisa, a comercialização dos autotestes está permitida em farmácias, em drogarias e em estabelecimentos de saúde autorizados e licenciados pela vigilância sanitária. Se a venda for on-line, deve se restringir aos sites oficiais desses estabelecimentos, sendo considerada irregular anúncios nas redes sociais e em plataformas virtuais de e-commerce.

Fonte: O Globo


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.