Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Voos poderão ser vir lanches aos passageiros

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a flexibilização das medidas sanitárias em aeroportos e dentro dos aviões, em virtude do encerramento da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin). As mudanças entrarão em vigor em 22 de maio.

Passageiros poderão tirar as máscaras para lanchar nos voos

Segundo a Anvisa, a atualização das regras foi possível “graças ao desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 e ao avanço da vacinação da população brasileira, que permitiram uma redução expressiva no número de casos e óbitos no Brasil, mesmo com o aparecimento e o avanço de novas variantes”. Ainda assim, a agência lembra que permanece a situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que requer que as medidas a serem adotadas em aeroportos e aeronaves ainda sejam cautelosas e proporcionais ao risco de contaminação.

Passageiros continuam usando as máscaras nos voos

Considerando o cenário epidemiológico atual, que inclui a manutenção da obrigatoriedade do uso de máscaras em áreas restritas de aeroportos e nas aeronaves, as seguintes flexibilizações foram autorizadas pela Anvisa e começam a valer em 22 de maio: Retomada do serviço de alimentação a bordo e permissão para retirada de máscara nesse momento: a agência recomenda que os serviços de bordo sejam os mais breves possíveis, para não prejudicar o uso de proteção facial pelos viajantes; pede também que os resíduos sejam recolhidos de forma rápida também; Locomoção dos passageiros nos terminais: agora poderão ser retomados os ônibus comumente usados no transporte de passageiros em embarque e desembarque de aeronaves estacionadas em áreas remotas; Retirada da restrição para limpeza e desinfecção da aeronave somente quando estava vazia: procedimentos de limpeza e desinfecção do avião poderão ocorrer mesmo antes da finalização do desembarque de passageiros; Distanciamento físico entre passageiros, sempre que possível: a Anvisa lembra que, para prevenção do contágio em ambientes confinados, permanece a recomendação do distanciamento físico entre passageiros, porém sem caráter impositivo e Manutenção do uso das máscaras faciais: segue valendo a obrigatoriedade do uso de máscara dentro dos aviões e em áreas restritas dos aeroportos.

FBHA elege nova diretoria

FBHA congrega 68 sindicatos no Brasil

A Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) promoveu dia 13 de maio, na sede da Confederação Nacional do Comércio (CNC), na sede da Confederação Nacional do Comércio (CNC), em Brasília, a eleição para a nova diretoria, que estará no comando da entidade de 2022 a 2026. A FBHA representa 68 sindicatos patronais em âmbito nacional nos setores de hospedagem e alimentação fora do lar.

Alexandre Sampaio, presidente da FBHA

Alexandre Sampaio, atual presidente da FBHA, foi reeleito em chapa única. Os vice-presidentes da chapa são: Graco Terceiro Neto Parente Miranda, 1º vice-presidente; e Paulo RogérioTadros, 2º vice-presidente. A chapa conta ainda com Anaiad de Assis Lopes e Giovane Gisler como diretores, e José Darcílio Cortes Junqueira Reis e Amaro Gadben como tesoureiros.A posse da nova diretoria ocorrerá no dia 23 de junho.

Acervo artístico da Infraero em MG

Mais diversidade para o acervo artístico de Minas Gerais. A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) recebeu dia 11 de maio, obras que estavam sob responsabilidade da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Os trabalhos, em diferentes suportes, como pintura e escultura, foram recolhidos nos aeroportos de Belo Horizonte (Confins e Pampulha) e, após a cessão à Secult, serão avaliadas no Museu Mineiro, em Belo Horizonte.

Os trabalhos foram entregues no Aeroporto Carlos Prates, em Belo Horizonte, e estavam guardados no depósito da empresa, em Brasília (DF). A cessão à Secult foi feita por meio da assinatura de um termo entre as duas autarquias governamentais. Em 2023, um novo termo será assinado pelas entidades, dessa vez, para a doação definitiva das obras, que tão logo estejam restauradas, serão expostas ao público.

Ao todo, passam a integrar o acervo artístico da Secult, 24 obras. Entre os trabalhos estão obras de Lotus Lobo, Carlos Bracher, Inimá de Paula, Sara Ávila, Nello Nulo entre outros grandes nomes das artes visuais do País. Para o secretário de estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, esse momento tem grande significado para a pasta, uma vez que fará parte da Pinacoteca do Estado.

O acervo de Pinacoteca do Governo de Minas, depositado no Museu Mineiro conta, por meio das pinturas, parte importante da história das artes plásticas no Estado e no País. Essa nova coleção, recuperada pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, soma-se a esse belíssimo acervo. Esse é um dia importante para a cultura mineira e para toda a diversidade artística em nosso Estado”, destaca Leônidas Oliveira.

As obras ficarão sob a guarda do Museu Mineiro para um processo inicial de avaliação. Após esse primeiro momento, a equipe técnica do Núcleo de Restauro e Conservação do equipamento dará sequência nos trabalhos, que envolvem as rotinas museais para preservação de obras de arte. Para o diretor de Museus da Secult, Alexandre Milagres, a chegada desses trabalhos tem grande significado para o público.

“São obras diversas e um valor incrível que se somam a um acervo já muito significativo no Museu Mineiro. Esses trabalhos que chegam reforçam, ainda mais, a importância que a arte tem em Minas Gerais, um estado que se preocupa e fomenta essa linguagem. Esse é um acervo muito diverso que representa diferentes períodos da produção artística nacional, bem como uma estética própria”, pontua.

BH vai investir R$ 3,7 milhões para Carnaval

Milhares de pessoas vão para as ruas nos blocos carnavalescos

Sem o carnaval em 2021 e 2022, a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) anunciou investimento de cerca de R$ 3,7 milhões em ações para a reestruturação da cadeia produtiva do carnaval de rua da capital mineira. Foram publicados três editais de Estruturação aos Atores do Carnaval de Belo Horizonte serão publicados pela prefeitura.

Segundo a Belotur, o formato dos editais foi construído em conjunto com a Comissão do Carnaval de Belo Horizonte, formado por representantes de Escolas de Samba, Blocos de Rua e Blocos Caricatos. O dinheiro será investido em oficinas, cursos, palestras e seminários, ensaios e gravações musicais e audiovisuais. O objetivo é divulgar o evento de rua da capital.

Gilberto Castro, presidente da Belotur, ressaltou a importância do evento para os trabalhadores que se envolvem na festa. “Para quem acha que Carnaval é só festa, em 2020 nós tivemos 11 mil ambulantes cadastrados. Isso mostra a importância da festa neste momento de crise, quando a economia está tão prejudicada”.

No edital de Estruturação para Escolas de Samba serão aportados R$ 900 mil, divididos entre até 12 Escolas de Samba. Na inscrição, os interessados devem optar por um dos eixos disponíveis: eixo passarela (lançamento ou concurso de Samba Enredo, ensaios abertos ou concurso de Rainha de Bateria); eixo música (coletânea de Sambas Enredo e faixa musical da Escola de Samba) e eixo audiovisual (mini documentário ou videoclipe).

No edital de Estruturação para Blocos Caricatos a prefeitura destinou R$ 418 mil que serão divididos entre até 11 Blocos Caricatos. Na inscrição, os interessados devem optar por um dos eixos disponíveis: eixo capacitação (oficinas, cursos, palestras e seminários e ensaios abertos); eixo música (marcha tema e/ou faixa musical do bloco caricato) e eixo audiovisual (mini documentário ou videoclipe).

No edital de Estruturação para Blocos de Rua serão aportados R$ 2,380 milhões divididos entre até 170 blocos. O edital é dividido em três categorias com valores diferentes e, além de escolher apenas uma categoria, os interessados devem optar por um dos eixos disponíveis: eixo capacitação (curso, palestra, seminário, oficina ou ensaio); eixo música (gravação de faixa musical) e eixo audiovisual (mini-documentário ou videoclipe).

Gilberto Castro afirmou que um novo edital será lançado para buscar um patrocinador nas festas de rua dos próximos anos. “Apesar de vermos esse investimento retornar para a cidade de formas diferentes, a prefeitura vai buscar sim investimento de empresas privadas para os próximos anos”.

Blocos e cortejos

Blocos caricatos são tradicionais na capital mineira

A pandemia interrompeu um momento de crescimento no Carnaval belo-horizontino. Em sua última edição pré-COVID, quase 350 blocos e 390 cortejos desfilaram nas ruas da capital, movimentando cerca de 4,5 milhões de foliões durante o período, de acordo com a prefeitura. O Carnaval de 2023 será o retorno da festa depois de dois anos sem folia nas ruas.

Para Vitoria de Paula Silva, representante dos blocos de rua no edital do carnaval, a inciativa da Belotur é o primeiro passo para a retomada do Carnaval de rua. “Poder construir junto com o poder executivo um edital sobre a retomada das festas de rua representa muito pelo momento político que estamos vivendo. Caminhamos muito com essa publicação, mas ainda temos muito o que evoluir. O fato de já termos contato e abertura com a Belotur para debater o assunto é muito importante”.

Juolison Mangabeira, representante dos blocos caricatos de Belo Horizonte, enfatizou a importância do edital para a continuidade do projeto nos próximos anos. “É importante separar o evento Carnaval e cultura Carnaval. Como os blocos caricatos são um evento antigo em BH, o edital vem trazendo um ânimo para a categoria em projetos futuros”.

Escolas de Samba, Blocos Caricatos e Blocos de Ruas poderão se inscrever no site da PBH até o dia 30 de maio. As propostas devem ser entregues na sede da Belotur, no centro de BH. O endereço é rua dos Carijós, 166, e o horário de funcionamento é de 9h às 12h e de 14h às 17h.

Coluna Minas Turismo Gerais

Jornalista Sérgio Moreira

@sergiomoreira63


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.