Capital mineira tem movimento turístico intenso

Belo Horizonte, pela primeira vez, registrou 100% de ocupação hoteleira entre o fim de novembro e início de dezembro. A marca recorde foi registrada em regiões da cidade, como a Centro-Sul. A abertura do Natal da Mineiridade, shows internacionais e a Feira Nacional de Artesanato impulsionam a circulação de pessoas na cidade, o que contribui para ativar o comércio, gerando emprego e renda.

O administrador de empresas, Bruno Gomes, por exemplo, foi pego de surpresa quando chegou a BH na quarta-feira (6). Residente em Ouro Branco, na região Central do estado, ele não encontrou vaga nos diversos hotéis para os quais ligou. “Nunca tinha passado por coisa parecida aqui, todos os lugares que procurei estavam com 100% de lotação. Acredito que a Feira Nacional de Artesanato, o período de Natal, além da vinda da torcida do Palmeiras para o jogo no Mineirão, contribuíram para isso. Da próxima vez, vou fazer reserva antecipada”, relata Gomes que precisou recorrer a casa de um amigo.

O Natal da Mineiridade foi inaugurado no dia 2 com o acionamento do novo projeto de iluminação da Praça da Liberdade, que tem o patrocínio da Cemig. O projeto integra a capital a mais de 400 municípios do interior em uma programação turística e cultural diversa e descentralizada, com cerca de 600 eventos. A projeção é que neste fim de ano, em Minas Gerais, haja uma movimentação turística de 3,2 milhões de pessoas, o que representa um crescimento de mais de 20% em relação ao ano passado.

Já nos dias 3 e 4 foi realizado o show do beatle Paul McCartney, reunindo um público de mais de 80 mil pessoas na cidade, muitas delas vindas de outros municípios e estados.

O advogado Vitor Melo saiu de Carandaí, no Campo das Vertentes, para vir pela segunda vez à capital mineira, neste ano, para curtir a atração. “Já faz parte da minha rotina conferir os shows marcados, procurar ingressos e me programar. Felizmente temos uma oferta a todo vapor”, comenta Vitor, que também assistiu à apresentação de Roger Waters que esteve em BH em novembro.

Nesta quarta-feira (6), foi inaugurada a 34ª Feira Nacional de Arte, a qual tem a participação do Governo de Minas. Participam da feira 3.500 expositores que esperam receber cerca de 170 mil pessoas, o que deverá movimentar R$ 60 milhões. A cidade também sediou o Congresso Nacional do Mercado Imobiliário (Conami), nos dias 5 e 6 de dezembro, no Palácio das Artes, reunindo quase duas mil pessoas, entre palestrantes, empresários, especialistas do setor e investidores de todo o país.

O secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas de Oliveira, pontua que esse cenário demonstra a consolidação do estado enquanto polo de turismo cultural e de negócios. “Minas Gerais manteve um crescimento de 103% acima da média nacional até o início do segundo semestre de 2023 e a previsão para os últimos meses é ainda maior. E boa parte disso se deve ao turismo cultural. Mais de 30% das motivações das pessoas que vêm ao nosso estado se relacionam a atividades de lazer e passeio, e dentre elas podemos destacar os shows, os museus, bares e restaurantes. E ressaltamos agora também o Natal da Mineiridade, cuja segunda edição oferece uma vasta programação no Circuito Liberdade e em mais de 400 municípios. Além disso, Belo Horizonte está na rota do turismo de negócios, sendo o Conami um bom exemplo, uma vez que esse é o maior congresso do mercado imobiliário do país”, completa Oliveira.

Foto: Renata Garbocci

Clara Nunes, a Tal mineira

Clara Nunes, nascida em Caetanópolis, teceu os fios de sua própria trajetória artística, marcando um lugar de destaque na história da música brasileira. A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Fundação Municipal de Cultura e Museu da Moda de Belo Horizonte, em parceria com o Instituto Clara Nunes, apresenta a exposição inédita “Clara Nunes – Eu Sou a Tal Mineira”. A mostra de longa duração mergulha nos aspectos marcantes da trajetória da icônica cantora Clara Nunes, explorando a relação única da artista com a moda e exibindo diversas peças de suas roupas, que contam a história de uma carreira brilhante na música popular brasileira. A abertura da exposição estará aberta para visitação do público a partir do dia 15 de dezembro, às 10h. O período expositivo seguirá o horário de funcionamento do espaço, de quarta-feira a sábado, das 10h às 18h.

A exposição “Clara Nunes – Eu Sou a Tal Mineira” percorre a carreira da cantora desde o início, em Belo Horizonte, até sua consagração nacional e internacional. A mostra destaca a influência da moda na carreira da artista, explorando 50 figurinos e adereços originais que serão exibidos pela primeira vez em conjunto. Ocupando os dois andares do Museu da Moda, os figurinos estão entrelaçados com documentos, objetos, adereços, recortes de jornais e fotografias, apresentando a trajetória da artista e sua imbricada relação com a cultura brasileira e a religiosidade de matriz africana. Clara Nunes foi a primeira mulher a vender mais de 400 mil cópias com o LP “Alvorecer“, ganhando seu primeiro Disco de Ouro. A cantora abriu caminhos para outros artistas e deixou sua marca inconfundível na cena musical brasileira.

Para Eliane Parreiras, secretária municipal de Cultura, a exposição é uma celebração do advento da moda e da música, por meio da genialidade de Clara Nunes. “Fruto da parceria de pesquisa entre o Museu da Moda e o Instituto Clara Nunes, a exposição destaca os figurinos preservados cuidadosamente pelo Instituto, convidando os visitantes a mergulhar na história da cantora. A mostra destaca a importância da preservação de objetos históricos, dando ênfase à intersecção entre as diversas manifestações artísticas que fizeram parte da trajetória de Clara Nunes”, celebra.

Segundo Luciana Féres, presidente da Fundação Municipal de Cultura, “a mostra traz, na simplicidade e autenticidade da personalidade de Clara Nunes, um grande movimento de valorização da nossa história cultural. Através das letras de suas músicas, roupas, adereços e documentação fotográfica, o visitante terá acesso à uma experiência imersiva na trajetória única de Clara Nunes através do prisma da moda”, destaca.

Para o Instituto Clara Nunes, “essa parceria contribui para a visibilidade do acervo e para a divulgação das pesquisas realizadas, desde 2005, por um grupo de profissionais dedicados à organização, catalogação, preservação e difusão da obra de Clara Nunes”.

Clara Nunes, a tecelã da música brasileira

Em 1978, Clara Nunes, ao cantar os primeiros versos da canção “Guerreira”, composição de João Nogueira e Paulo César Pinheiro, afirmava suas origens: “Se vocês querem saber quem eu sou, eu sou a tal mineira”. Foi batizada Clara Francisca na cidade de Caetanópolis, em Minas Gerais, sendo filha caçula do folião de reis e serrador Manoel Pereira de Araújo e de Amélia Gonçalves Nunes, de quem assume o sobrenome. Seu pai trabalhou na fábrica de tecidos Cedro Cachoeira, e Clara Nunes, assim como seus irmãos, também atuou no mesmo local exercendo o ofício de tecelã. Posteriormente, já em Belo Horizonte, trabalhou na Companhia Renascença, no Bairro Cachoeirinha.

Os figurinos exclusivos da cantora, criados por estilistas como Arlindo Rodrigues, Geraldo Sobreira e Reinaldo Cabral, marcaram sua trajetória. Eles estarão expostos nos dois andares do Museu, relacionando-se com um precioso acervo de fotografias, documentos e matérias de jornal que percorrem a história da artista e sua relação com a moda. Elementos como renda de algodão, bordados, sisal, cordas, búzios e conchas, compõem o cenário visual da mostra, refletindo a pesquisa minuciosa da cantora acerca da cultura e religiosidade afro-brasileira, absorvida em suas viagens pelo Brasil.

A exposição destaca a relação especial de Clara Nunes com o Carnaval, especialmente com sua escola do coração, a Portela. Esses laços remontam à sua relação com o compositor mineiro Jadir Ambrósio e a velha guarda do samba de Belo Horizonte. Em 1964, a cantora foi coroada como rainha do Carnaval na capital mineira, e no Rio de Janeiro estabeleceu vínculos com a cena carioca, atuando como intérprete na Avenida. Clara Nunes também fez gravações em homenagem à Escolas de Samba como Salgueiro, Mangueira, Império da Tijuca, Mocidade Independente de Padre Miguel, e Império Serrano.

Com “Clara Nunes – Eu Sou a Tal Mineira”, o Museu da Moda de Belo Horizonte – MUMO e o Instituto Clara Nunes convidam o público à um passeio pela trajetória da artista que marcou a história da música e exaltou a importância da moda na criação de uma identidade diversa, inclusiva e exuberante. Em 2024, está prevista a realização de uma série de ações dentro da programação cultural e educativa da exposição.

Museu da Moda de Belo Horizonte – MUMO

O Museu da Moda de Belo Horizonte – MUMO, inaugurado em 2016, surgiu como uma evolução do Centro de Referência da Moda, criado em 2012. Tornou-se então o primeiro museu público de moda do Brasil. Com essa iniciativa, reforçou-se o reconhecimento da moda como bem cultural e patrimônio nacional, por meio da adoção, pela instituição, de um programa dinâmico e variado. Os espaços da instituição são entendidos para além de exposições, encontrando-se também abertos para criação, fruição e experimentação.

O MUMO tem como missão preservar, pesquisar e difundir acervos referentes à moda na capital mineira, em suas múltiplas facetas, dialogando com a contemporaneidade e estimulando o pensamento crítico. Nesse sentido, pretende ser uma instituição de referência em memória, conservação e pesquisa de moda, indumentária e comportamento. Realizou, nos últimos anos, as exposições “Alceu Penna – Inventando a Moda do Brasil” “Arquivo Urbano – Cem anos de fotografia e moda no Brasil” e “Saberes de Costura: do molde à roupa”.

Instituto Clara Nunes –

O Instituto Clara Nunes originou-se da necessidade de preservação e guarda do acervo da cantora, composto por distintos tipos de objetos: documentos pessoais, fotografias, álbuns e recortes de jornais, imagens religiosas, adereços, vestimentas, fitas k-7, troféus, entre outros. Todo o material pertencente à irmã de Clara, Maria Gonçalves da Silva, foi repassado por ela ao Instituto, em sua criação em março de 2005.

O Instituto Clara Nunes entende, porém, ser a sua função mais ampla do que o simples laurear de uma memória individual. Assim, imbuído da missão que Clara Nunes conferia a seu ofício – a divulgação da cultura popular brasileira, em sua diversidade mestiça, atua em diferentes frentes culturais, tais como: o atendimento a pesquisas acadêmicas e artísticas, o apoio a projetos educacionais e a parceria na realização de festivais.

Casa de Clara Nunes, onde morou em Caetanópolis

Exposição “Clara Nunes – Eu Sou a Tal Mineira”

Local: Museu da Moda (Rua da Bahia, 1.149, Centro, Belo Horizonte)

Período expositivo: 15 de dezembro deste ano até 15 de dezembro de 2025

Horário de visitação: quarta-feira a sábado, das 10h às 18h-Entrada gratuita sem inscrições prévias.

– As fotos publicadas , são dos objetos da Clara Nunes que estão no museu na cidade de Caetanópolis. Algumas peças deverão estar em exposição na capital mineira.

Programa gratuito de aceleração vai selecionar 30 pequenos negócios de moda autoral da capital mineira

Para identificar e alavancar novas marcas mineiras que reúnam originalidade e potencial para expandir o mercado da moda, o Sebrae Minas em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte abre inscrições para o edital do programa Minas Moda Autoral. Trinta pequenos negócios da capital mineira – ligados aos segmentos de vestuário, moda íntima, acessórios, calçados, bijuterias e joias – serão selecionados para participar do programa gratuito de aceleração em 2024. As inscrições podem ser feitas até o dia 21 de janeiro neste link.

Podem se inscrever empreendedores individuais (MEI) e micro e pequenas empresas (MPE) formalizados (com CNPJ) em Belo Horizonte e que atuam nos segmentos da moda autoral, que priorizam a originalidade, personalização e criatividade dos seus designs.

“Assim como na primeira edição do programa, realizada em 2022, os selecionados passarão por uma imersão em seu propósito inicial, percebendo a necessidade de reinventar seus negócios. Nosso objetivo é tornar os pequenos empreendimentos da moda autoral aptos para enfrentar os desafios atuais do setor, permitindo-lhes acessar novos mercados, construir uma identidade e um posicionamento da marca, compreender as necessidades do seu público-alvo, comunicar-se de forma eficaz com seus clientes, além de estimular a criatividade no processo de desenvolvimento de coleções e novos produtos”, afirma Marcelo de Souza e Silva, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas.

Após a avaliação das informações do formulário e do material enviado para inscrição, os classificados farão um pitch de seus negócios – uma apresentação presencial rápida de 5 minutos – para uma banca de jurados, que vai escolher as 30 empresas aptas a participarem do programa. Os selecionados serão divulgados no dia 5 de fevereiro.

Para a secretária municipal adjunta de desenvolvimento econômico de Belo Horizonte, Chyara Sales Pereira, a intenção é transformar a capital mineira em um “celeiro” da moda autoral.

“O programa é o primeiro passo para uma ‘resistência’ à forma como a moda foi pensada durante tanto tempo, respeitando as diferenças e diversidades, que também se somam. A moda tem muitas faces e é um mercado gerador de emprego, renda e desenvolvimento econômico. Por isso, que nossa iniciativa vai além da moda industrial, feita em alta escala, queremos dar oportunidade para potencializar os pequenos negócios da cidade que investem em produtos exclusivos e que destacam toda a nossa mineiridade”, enfatiza Chyara Pereira.

Programação-Durante quatro meses de aceleração – fevereiro a junho de 2024 -, o programa Minas Moda Autoral oferece workshop, mentorias coletivas e consultorias individuais on-line e presenciais, com carga horária de 56 horas por empresa.

As capacitações serão divididas em quatro etapas. A primeira delas será sobre o processo criativo de moda, voltado para o desenvolvimento da criatividade, habilidades manuais, descoberta de estilos e talentos pessoais, além da capacidade de pesquisa. Na próxima fase de criação, os participantes serão estimulados a desenvolver novos produtos de uma coleção baseada em pontos estratégicos para comercialização, análise de dados, viabilidade produtiva e direcionamento da identidade estética.

Já na terceira etapa do programa, serão apresentadas estratégias de comunicação e posicionamento da marca, potencializando a identidade da empresa, a geração de valor e o relacionamento com os clientes em diferentes canais. Por último, mas não menos importante, será feito um mapeamento e gestão das atividades do processo de desenvolvimento de produtos, análise sobre a conformidade da proposta de valor oferecida ao mercado, além da adequação da oferta para o consumidor.

Integra Moda

O programa Minas Moda Autoral compõe a estratégia estadual do Sebrae Minas para o segmento: o Integra Moda. A iniciativa é direcionada para as expertises de diferentes segmentos da moda, com o objetivo de fomentar o setor no estado e fortalecer os polos produtivos, por meio de inteligência de dados, melhoria na gestão dos pequenos negócios e incentivo a políticas públicas que beneficiem o setor, afirmando Minas Gerais como “Estado da Moda” e rota de comércio.

“Nesse trabalho, o papel do Sebrae Minas é entender o movimento do segmento e da sociedade e apresentar aos pequenos empresários o que há de mais novo em tendências, mercado, gestão, marketing, entre outros temas. Para alcançar esse objetivo, é preciso construir com parceiros, como a Prefeitura de Belo Horizonte, programas direcionados para modalidades do segmento, respeitando e ativando as vocações locais”, justifica o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas.

Edital Programa Minas Moda Autoral 2024

Inscrições gratuitas até dia 21 de janeiro pelo https://prefeitura.pbh.gov.br/desenvolvimento/minas-moda-autoral
Divulgação da primeira etapa de classificação: 24 de janeiro
Realização da banca julgadora presencial: 30 e 31 de janeiro
Anúncio dos selecionados: 5 de fevereiro

Programação de atividades: de fevereiro a junho de 2024

ReveillonIntercity Expo

O Intercity BH Expo está preparando uma festa de Réveillon extraordinária para receber 2024 com muita alegria, inovação e paixão pelo futebol!

O Tema Inovador do Futebol & Anos 80:

Este ano, vamos além do convencional, unindo o fascínio pelo futebol com a nostálgica e animada Banda Retrô BH, trazendo os hits que marcaram os anos 80. Uma combinação perfeita de esporte e música para uma noite inesquecível!

– Atrações com a Banda Retrô BH: Reviva os clássicos dos anos 80 e dance até o amanhecer.

– Espaço Amplo e Aconchegante: Desfrute de um ambiente confortável para receber o novo ano com estilo.

– Temática Inédita: Este Réveillon, trazemos uma abordagem inédita ao falar sobre o tema de futebol na virada do ano, unindo a paixão pelo esporte com as boas energias do novo ano que se inicia.

Diversão para Todos:Além das atrações principais, teremos fogos indoor espetaculares, um Espaço Kids para os pequenos e uma atmosfera contagiante de celebração.

Hospedagem Exclusiva:Ao garantir seu pacote, você terá a oportunidade única de se hospedar no Intercity BH Expo e ficar no epicentro dessa festa extraordinária.

Venha torcer por um ano novo repleto de festa, união e boas energias!

Garanta Seu Pacote – Últimos Convites Disponíveis:

Reserve agora em www.sympla.com.br ou ligue para (31) 97171-8650. Não perca a chance de participar desta celebração única! veja reservas.

Seja parte da história do Réveillon 2024 no Intercity BH Expo. Junte-se para uma noite de pura magia!

Hotel Intercity BH Expo, Av. Amazonas, 7.702 | Gameleira | Belo Horizonte

Marta Rossi entre os 100+ Poderosos do Turismo

Foto Gustavo Merolli

A fundadora e CEO do Festuris – Feira Internacional de Turismo de Gramado, Marta Rossi, faz parte da seleção dos 100+ Poderosos do Turismo. O destaque é da Revista Panrotas, na 13ª edição da lista, que ranqueia as maiores lideranças e empresas do turismo.

Marta Rossi, natural da cidade de Gramado (RS), um dos principais destinos turísticos do Brasil, sempre teve o turismo correndo em seu DNA. Ela iniciou a sua carreira profissionalmente no meio turístico na década de 80. Em 1988, ao lado de Silvia Zorzanello, fundou a Rossi & Zorzanello Feiras e Empreendimentos, no ano seguinte, nasceu o Festuris.

É uma lista para homenagear pessoas, os profissionais da indústria de Viagens e Turismo. É uma lista B2B, pois acreditamos na força da cadeia produtiva. O Turismo é sim multicanal, e isso não vai mudar, mas a Panrotas é uma empresa que há 50 anos está do lado do agente de viagens, do profissional. Somos 100% B2B e não teria como nossa lista ser diferente”, explica o editor-chefe da Panrotas e chief communication officer, Artur Luiz Andrade.

Para a empresária, é uma honra receber esta indicação de um veículo de comunicação que tem o respeito do trade turístico nacional. “Estar entre as grandes personalidades que contribuem e constroem para o desenvolvimento do setor de turismo e eventos me deixa orgulhosa e honrada. Além de ser um grande estímulo para que eu continue sempre produzindo mais e melhor. Aliás, é isto que eu busco todo dia, ser uma pessoa melhor, assim como uma executiva comprometida, realizadora e capaz de transformar”, pontua.

Em 2023, juntamente com seu sócio, Eduardo Zorzanello (filho de Silvia), Marta realizou a 35ª edição do Festuris em Gramado, que ocorreu de 9 a 12 de novembro. O evento reuniu 15 mil participantes, contou com 2,7 mil marcas em exposição e 40 países internacionais representados. Foram 27 mil m² de área construída, 400 estandes, 7 palcos de conteúdo, e 710 profissionais da imprensa inscritos.

Vistos para americanos, australianos e canadenses podem ser eletrônicos

Os Estados Unidos é o segundo país maior emissor de turistas para o Brasil, atrás apenas da Argentina. Nos 10 primeiros meses de 2023, 530.690 norteamericanos visitaram o Brasil (11% do total). No mesmo período, recebemos 66.338 canadenses (16º maior emissor) e 38.544 australianos (17º maior emissor).

Os turistas americanos, australianos e canadenses que desejam conhecer o Brasil já podem solicitar o visto eletrônico, o chamado e – Visa, por meio do endereço eletrônico: https://brazil.vfsevisa.com – o documento será exigido para os cidadãos dos três países nos portos, aeroportos e fronteiras terrestres a partir do dia 10 de janeiro. A Embratur e o Ministério do Turismo atuam na produção e distribuição de informações sobre o procedimento de emissão do visto a todos os operadores turísticos e companhias aéreas que vendem, nesses três países, passagens e pacotes para o Brasil.

O conteúdo foi produzido para ser distribuído em multiplataformas, em formato de vídeo, peças de redes sociais, hotsite, e-mail marketing e cartaz, que será fixado nos postos diplomáticos do Brasil. O pacote de material demonstra o elevado grau de praticidade e conveniência da emissão do visto, que será 100% eletrônico e dispensa comparecimento do interessado a consulados brasileiros.

O requerente fará por via digital toda a tramitação do pedido e a apresentação da documentação pertinente, e receberá o visto também eletronicamente, via e-mail. Para entrar no Brasil, precisará apresentar apenas o passaporte válido e uma cópia impressa do visto. O visto eletrônico custará US$ 80,90, permitirá múltiplas entradas e terá o mesmo prazo de validade dos vistos convencionais: 10 anos para norteamericanos, 5 anos para canadenses e australianos.

E – visa – A operação do sistema digital do visto está sob a responsabilidade da empresa VFS Global, contratada pelo Ministério de Relações Exteriores. A retomada da cobrança do visto atende a determinação do Decreto n.º 11.515, de 2/5/2023, que restabeleceu o princípio da reciprocidade e da igualdade de tratamento, tendo em conta a exigência de vistos para cidadãos brasileiros entrarem nesses países.

Nos EUA, a Embratur oficializou em junho o retorno ao quadro de membros da Associação de Operadoras de Turismo dos Estados Unidos (USTOA), após quatro anos de afastamento. Através dos canais internos de comunicação da entidade, a Agência se comunica com todo o trade turístico norteamericano. No Canadá e Austrália, a estratégia também é informar o trade e companhias aéreas que comercializam pacotes e passagens para o Brasil.

O Hotel Ibis Maringá , do grupo Accor, é o primeiro hotel do Brasil a receber a certificação socioambiental Green Key

A Accor, líder global em hospitalidade, comprometida com o desenvolvimento sustentável, conquistou a certificação socioambiental Green Key na unidade do ibis Maringá, no Estado do Paraná. Este é o primeiro hotel do Brasil a conquistar o selo internacional.

O Ibis Maringá, do grupo Accor, é o primeiro hotel do Brasil a conquistar o selo internacional Green Key | Foto:Fred Suzuki

No início deste ano, a Accor anunciou sua parceria com as associações globais Green Key e o Green Globe, ambos com seus padrões reconhecidos pelo Global Sustainable Tourism Council (GSTC). Esses programas de certificação avaliam os negócios nos quatro pilares da sustentabilidade: gestão sustentável, impactos ambientais, impactos culturais e impactos socioeconômicos, confirmados por auditoria independente de terceiros das práticas hoteleiras.

Com mais de 4.400 estabelecimentos certificados em 60 países, o Green Key é o principal selo de excelência no campo da responsabilidade ambiental e operação sustentável dentro da indústria de turismo e hospitalidade. No Brasil, o Programa é coordenado pelo Instituto Ambientes em Rede (IAR). O processo de certificação propõe um grande número de critérios, divididos em 13 temas principais que abordam aspectos relacionados à gestão ambiental, conservação de energia, gestão de resíduos, conservação da água, entre outras práticas sustentáveis.

O Ibis Maringá, do grupo Accor, é o primeiro hotel do Brasil a conquistar o selo internacional Green Key | Foto:Fred Suzuki

A conquista da primeira certificação Green Key no Brasil é um reconhecimento do compromisso da Accor e do hotel ibis Maringá com práticas ambientalmente responsáveis, gestão eficiente de recursos e responsabilidade social. Com a certificação, o hotel ibis Maringá já figura no mapa de hotéis certificados globalmente no ‘Green Key Sites’ e posteriormente, também constará nos demais sites das OTAs vinculadas ao programa Green Key.

Antonietta Varlese, SVP de Sustentabilidade e Comunicação Accor Américas – Divisão Premium, Midscale & Economy, comenta sobre o avanço do Grupo Accor no seu compromisso para transformação sustentável. “Há muitos anos, a Accor está comprometida com o desenvolvimento sustentável. Em 2020, estabelecemos nosso compromisso de contribuir para zerar as emissões de carbono globalmente até 2050 e reduzir nossas emissões absolutas em 46% (Escopo 1 e 2) e em 28% (Escopo 3) até 2030. Ao incentivar a certificação sustentável de nossos hotéis, garantimos a transparência e confiabilidade de nossas ações para investidores, clientes e demais stakeholders, reduzindo riscos e aumentando a performance de nossos hotéis”.

Fernanda Caride, gerente do ibis Maringá, comemora o título de primeiro hotel do país a receber a certificação. “Esta conquista é um reconhecimento merecido e um testemunho do compromisso do ibis Maringá em liderar pelo exemplo e promover a sustentabilidade em todas as nossas operações. A certificação Green Key reafirma nosso compromisso em ser uma força positiva para o meio ambiente e a comunidade, e serve como uma inspiração para outras empresas na indústria do turismo”.

Leana Bernardi, coordenadora nacional do Green Key, comenta sobre essa grande conquista do programa. “Estamos firmemente convencidos que os esforços para reduzir a pegada ambiental na indústria hoteleira desempenham um papel crucial na preservação das belezas naturais de nosso país. Observamos um interesse crescente entre turistas, gestores de estabelecimentos turísticos e autoridades públicas nessa direção. Motivados por essa demanda crescente, decidimos relançar o Green Key no Brasil, promovendo práticas sustentáveis em toda a indústria. Além de ser um indicador de comprometimento das instituições com a sustentabilidade, o programa responde de maneira proativa à crescente demanda de turistas conscientes que buscam opções de hospedagem com valores ambientais, sociais e responsáveis”.

Finn Bolding Thomsen, Diretor Internacional da Green Key, complementa: “Estou muito feliz por ter o ibis Maringá agora certificado com Green Key. Será o primeiro hotel certificado Green Key no Brasil e o primeiro hotel Accor certificado Green Key nas Américas. Acredito que o ibis Maringá será um excelente modelo para outros hotéis do Brasil e da região das Américas que queiram aderir ao programa Green Key”.

A cerimônia de entrega da certificação foi realizada no dia 6 de novembro, no saguão do hotel ibis Maringá. Estiveram presentes autoridades locais, executivos da rede hoteleira e representantes do selo Green Key no Brasil.

A ACCOR – A Accor é um grupo líder mundial em hospitalidade que oferece experiências em mais de 110 países em 5.500 empreendimentos, 10.000 bares e restaurantes, instalações de bem-estar ou espaços de trabalho flexíveis. O Grupo possui um dos ecossistemas de hospitalidade mais diversificados do setor, abrangendo mais de 40 marcas de hotéis, do luxo ao econômico, bem como Lifestyle com Ennismore. A Accor está empenhada em tomar medidas positivas em termos de ética e integridade nos negócios, turismo responsável, desenvolvimento sustentável, divulgação da comunidade e diversidade e inclusão. Fundada em 1967, a Accor SA tem sede na França e está listada publicamente na Euronext Paris (código ISIN: FR0000120404) e no mercado OTC (Ticker: ACCYY) nos Estados Unidos. Para obter mais informações, visite www.group.accor.com ou siga-nos em X, Facebook, LinkedIn, Instagram e TikTok.

O ibis-Desde 1974, o ibis é uma marca pioneira, aberta e acolhedora para todos. Os hotéis ibis são amados por viajantes e moradores locais por seu estilo contemporâneo, centros sociais vibrantes, quartos que parecem um lar, bares animados, opções gastronômicas satisfatórias e experiência de check-in móvel fácil. A marca é conhecida por sua paixão por música ao vivo, oferecendo aos hóspedes listas de reprodução selecionadas para cada estado de espírito e acesso a shows exclusivos com músicos promissores. Não importa em que parte do mundo o hóspede viaje, o ibis sempre parece ser o lugar certo para estar. Com mais de 1.260 hotéis em mais de 65 países, o ibis é reconhecido em todo o mundo como a marca líder em hospitalidade econômica. O ibis faz parte da Accor, um grupo líder mundial em hospitalidade com mais de 5.500 propriedades em mais de 110 países, e uma marca participante do ALL – Accor Live Limitless – um programa de fidelidade de estilo de vida que oferece acesso a uma ampla variedade de prêmios, serviços e experiências.

Coluna Minas Turismo Gerais

Jornalista Sérgio Moreira @sergiomoreira63

Informações para a coluna enviar para [email protected]