Por Fred Ribeiro

Na aprovação da SAF, o Atlético-MG detalhou sua dívida global de R$ 1,8 bilhão (a maior do futebol brasileiro). Neste bolo está a parte tributária, com parcelamentos fiscais. A dívida de impostos do Galo está na casa dos R$ 300 milhões. Uma parcela considerável foi ajustada via PERSE. Por lá, o clube tem um total de R$ 134 milhões a quitar com a União até 2034.

O PERSE – Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – foi instituído pelo Governo Federal em abril de 2021, para ajudar nos impactos da Covid-19 nas empresas voltadas para o entretenimento, mas englobando também os clubes de futebol. Com isso, o Galo migrou parte dos parcelamentos do Profut para o novo programa.

O ge, via Lei de Acesso à Informação, consultou todos os débitos previdenciários e não previdenciários do Atlético na Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. O Galo possui quatro parcelamentos no PERSE, estando em dia no pagamento de cada “mensalidade”. Até o momento, o clube pagou R$ 7.185.275,59 da dívida, restando em aberto R$ 126 milhões de um total de R$ 133.812.773,65.

O PERSE apresenta condições favoráveis, como redução de até 100% de juros e encargos legais, parcelamentos de até 145 vezes. No caso do Atlético, dois parcelamentos foram feitos entre 2022 e 2034 (12 anos), e outros dois (previdenciários) foram divididos de 60 vezes (cinco anos).

Na última demonstração financeira divulgada pelo Atlético, de 2022, é informado como se deu a migração de parte dos débitos de impostos federais, do Profut para o Perse. No Profut, o clube havia feito a adesão em 2015, utilizando cerca de R$ 60 milhões bloqueados pela Procuradoria da Fazenda Nacional (venda de Bernard) para antecipação de pagamentos de parcelas, após determinação da Justiça Federal.

Até dezembro de 2022, o Atlético tinha R$ 300,3 milhões de dívidas tributárias, entre impostos federais, municipais, contribuições sociais, e os parcelamentos do Profut (R$ 115,8 milhões) e o PERSE (R$ 146 milhões).

Os parcelamentos especiais do Atlético serão, agora, responsabilidade da SAF, que irá sugar 100% do endividamento do clube-associação. Entretanto, esse tipo de dívida tem obstáculos para ser repassado oficialmente para outro pagador. O que acontecerá? A SAF fará o repasse do dinheiro para a associação seguir quitando as parcelas mensais do Galo, até 2034.

Se o PERSE está 100% em dia, o Atlético tem uma dívida de R$ 4 milhões, relacionada à FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) inscrita na lista de devedores da União – Dívida Aberta.

Os parcelamentos do Atlético no PERSE:

1º parcelamento

Total da dívida: R$ 115,3 milhões
Em aberto: R$ 108,8 milhões
Já pago: R$ 6.456.790,21
Número de parcelas: 145

2º parcelamento:

Total da dívida: R$ 6,6 milhões
Em aberto: R$ 6,3 milhões
Já pago: R$ 372.822,04
Número de parcelas: 60

3º parcelamento

Total da dívida: R$ 9,8 milhões
Em aberto: R$ 9,5 milhões
Já pago: R$ 295.805,16
Número de parcelas: 145

4º parcelamento

Total da dívida: R$ 1,99 milhão
Em aberto: R$ 1,93 milhão
Já pago: R$ 59.858,18
Número de parcelas: 60


Avatar

administrator