Em “O Luto Abissal”, Cristiano Seixas narra ao lado do ilustrador Alexandre Tso a jornada de um professor que perde sua filha e encara seres grotescos no Rio de Janeiro da década de 1920.

Depois de adentrar o cargueiro espacial Nostromo e encarar uma criatura assustadora em “Alien: The Original Screenplay”, desbravar um mundo pós-apocalíptico entre o Cerrado e a Caatinga do Norte de Minas Gerais em “Contos da Calango” e dar vida à uma guerreira e rainha da Irlanda antiga em “Maeve Rising Warrior”, o roteirista e quadrinista Cristiano Seixas mergulha nas profundezas do oceano, no Rio de Janeiro dos anos 1920, em seu primeiro livro de terror psicológico fora dos quadrinhos e da animação, “O Luto Abissal”. A produção será lançada nesta quinta-feira (14/12), às 18h, no Espaço Cultural da Casa dos Quadrinhos (avenida João Pinheiro, 277, Funcionários), com exposição de originais e coquetel, cuja entrada é franca. Informamos que a Casa dos Quadrinhos não incentiva o consumo de bebidas alcoólicas e, por isso, elas não serão oferecidas.

Publicada pela editora belo-horizontina Moby Dick (responsável pela nova versão da HQ “Pinóquio”), a obra narra a jornada do professor Jonas que, após cair em luto profundo pela perda de sua filha, é enviado pelo seu sogro para o outro lado do Atlântico para tratamento psiquiátrico. “Porém, Jonas nunca chega ao destino traçado, porque é arremessado ao mar e sugado às profundezas. Em meio ao delírio e às descobertas de seres grotescos nas fossas abissais, o professor busca entender se está em extrema loucura ou avançando aos horrores destas criaturas nunca vistas antes”, descreve Cristiano Seixas.

Segundo o autor, estava em seus planos trazer o luto, uma temática ainda estigmatizada, para um dos seus trabalhos, especialmente por uma razão pessoal. “Já há algum tempo queria me aprofundar no assunto de forma fantasiosa, até que veio a oportunidade, através do convite da Moby Dick, de abordá-lo em um projeto de terror, de uma forma mais dark e usando analogias”, conta.

Cristiano Seixas revela que a cidade e o período escolhidos fizeram todo o sentido para a narrativa. “A gente queria um momento alusivo ao crescimento industrial do Brasil, mas sem relação com a primeira ou segunda guerra mundial. A história transita pelo fundo do mar, hospício e mansões de europeus, então o Rio de Janeiro antigo, somado ao fato de ser uma cidade portuária, foi determinante para o enredo funcionar. Tudo isso casou muito bem com a arte do Alexandre Tso, amigo de longa data, ex-aluno da Casa dos Quadrinhos e parceiro de outras empreitadas, como em alguns projetos do estúdio Ghostjack e nos quadrinhos “Os Caras do Fahrenheit” e “Calango””, descreve.

Confira um trecho do livro “Luto Abissal”

“Ah. Mas o amor se mostra como temporal, muitas vezes feio, efêmero, egoísta, e outras vezes seus momentos mais belos passam despercebidos. É no luto que o vemos em retrospecto, o tanto que era abundante e não pronunciado. No luto vemos o belo e profundo amor que se foi, mas daí já é tarde demais. Sempre que sentirmos esse amor numa morte, revivemos as belas memórias como monstros de um pesadelo que nunca vai acabar. E quando a morte deste amor é nossa culpa, estes monstros que te envolvem são tudo que lhe resta. E nas profundezas desses amores perdidos, prefiro deixar os monstros me consumirem, do que perder as lembranças mais preciosas que tenho”.

Serviço: Coquetel de lançamento “O Luto Abissal”

Data e horário: 14 de dezembro, quinta-feira, 18h

Local: Espaço Cultural da Casa dos Quadrinhos | avenida João Pinheiro, 277, Funcionários | Sujeito à lotação

Ficha técnica “O Luto Abissal”

Autor: Cristiano Seixas

Ilustrador: Alexandre Tso

Páginas: 178

Valor: R$ 80 no dia do lançamento

Mais informações: Editora Moby Dick | @mobydickeditora

Vendas: Livraria Leitura Pátio Savassi e Amazon

Sobre Cristiano Seixas

Diretor de arte, quadrinista, roteirista e cofundador da Casa dos Quadrinhos (CDQ) – Escola Técnica de Artes Visuais e Digitais. Foi o primeiro roteirista brasileiro a adaptar para os quadrinhos uma franquia de Hollywood, comercializada em 10 países, “Alien: The Original Screenplay”, pela Dark Horse Comics. Seus recentes projetos são a HQ “Contos da Calango” e a revista “Maeve Rising Warrior”.

Graduado em Design Gráfico pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, mestre em Animação Digital pelo Art Institute of California. Foi conselheiro da Associação Brasileira de Produtoras Independentes – BRAVI. Foi um dos curadores dos 10 anos da Campus Party SP, em 2017, e palestrante da Campus Party MG. Trabalhou nas maiores convenções de quadrinhos e animação do mundo, como San Diego Comic Con, New York Comic Con, Chicago Comic Con, Kidscreen, Mip Com, Mip TV e Annecy.

Sobre Alexandre Tso

Nascido em Belo Horizonte, estudou na Casa dos Quadrinhos e trabalhou como ilustrador para vários setores, desde capas para revistas, como a “Mundo dos Super-Heróis”, a peças promocionais para a “Walt Disney Company”. Já fez capas e material exclusivo para a Ghostjack Entertainment, na qual começou uma relação criativa com os projetos de Cristiano Seixas nos últimos anos. Participou de inúmeras convenções e feiras da área pelo Brasil.


Avatar