As péssimas condições da BR-367, que liga o Vale do Jequitinhonha ao Sul da Bahia, foram mais uma vez denunciadas, em audiência pública realizada pela Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Buracos, crateras, alagamentos e a falta de pavimentação danificam veículos, impedem o deslocamento de moradores, afugentam investimentos e, o que é pior, causam acidentes e mortes.

Em resposta às demandas de prefeitos, vereadores e deputados por intervenções urgentes na rodovia, o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Antonio Gabriel Santos, informou que há orçamento garantido pelo ministro dos Transportes, Renan Filho, para melhorias em rodovias de Minas e que a BR-367 deve ser a que proporcionalmente receberá mais recursos.

Compareceram à audiência os prefeitos de Almenara, Berilo, Itaobim, Jequitinhonha e Joaíma, bem como os vice-prefeitos de Araçuaí e Francisco Badaró. De forma geral, eles se queixaram da falta de atenção de diversos governos do Estado e do País com o Vale de Jequitinhonha, região que apresenta os piores indicadores de desenvolvimento de Minas Gerais.

Outras reclamações comuns foram quanto aos entraves impostos pela BR-367 para o transporte de estudantes e pacientes em tratamento de saúde e às dificuldades logísticas enfrentadas pelos empreendedores locais.

Pavimentação da BR-367 ainda depende de decisão sobre projeto

“Autoridades admiram as curvas do Jequitinhonha do alto, mas precisamos que andem pelas estradas esburacadas e destruídas que temos”, pontuou o prefeito de Almenara, Ademir Gobira. Segundo ele, os moradores da cidade se encontram sitiados, por conta das condições precárias da rodovia.

Prefeita de Berilo, Elane Alves lembrou que um motorista faleceu ano passado, ao despencar de uma ponte de madeira na entrada da cidade, tipo de estrutura usada na região como medida paliativa, enquanto a população aguarda há décadas por uma solução definitiva.

Nilo Souto, prefeito de Jequitinhonha, abordou os prejuízos causados aos empresários. Produtor agrícola, ele disse que clientes da produção local de banana anunciaram que não irão ao município na próxima semana, devido à situação da BR-367, o que significa um prejuízo de meio milhão de reais.

Mais da metade do percurso da BR-367 precisaria ser reconstruído

Após escutar as reivindicações das autoridades locais, o superintendente do Dnit, Antonio Gabriel Santos, afirmou que uma das metas é que sejam licitados, ainda no primeiro semestre deste ano, dois ou três novos contratos com serviços de manutenção mais robustos para segmentos da rodovia.

Ele admitiu, contudo, que mais de 60% do percurso da BR-367 precisaria na verdade ser reconstruído, o que exigiria projetos mais demorados. A meta do Dnit é chegar até o final do ano sem que haja nenhum buraco na rodovia.

Das rodovias que já conheci, é o pior segmento que o Dnit tem sob sua administração”, disse Antonio Gabriel Santos, Superintendente regional do Dnit.

O superintendente lembrou que, em maio de 2023, foi iniciado um processo de recuperação de segmentos da via. No entanto, os contratos de manutenção, feitos de 2022 para 2023, nem sempre contemplam todos os serviços que seriam necessários e, por isso, as intervenções têm sido feitas dentro do que foi pactuado, enquanto outras licitações estão sendo planejadas.

Especificamente sobre a situação da BR-367 em Berilo, uma das maiores preocupações da região, o gestor relatou que será necessário licitar um novo projeto, cujo edital de contratação deve sair em até 60 dias. Após a contratação, o projeto deve ser finalizado em até 18 meses.

Sobre a ponte de madeira na entrada da cidade, a conclusão do Dnit foi de que seria melhor construir ao lado dela uma nova ponte de concreto. Antonio Gabriel Santos espera que até o final do semestre a obra já esteja contratada.

Deputados criticam situação da malha rodoviária estadual

Além de corroborar as demandas dos participantes da audiência, os deputados Marquinho Lemos (PT), presidente da Comissão de Participação Popular, Doutor Jean Freire (PT) e Leleco Pimentel (PT) criticaram as condições da malha estadual, a maior do País e a que estaria em piores condições.

Marquinho Lemos disse que o Governo do Estado planeja apenas obras de recuperação na BR-367, sem que nenhum trecho novo seja construído. Doutor Jean Freire também comentou a péssima situação de trechos que já sofreram intervenções, como o de Diamantina a Turmalina, por causa da má qualidade do material utilizado.

O deputado também salientou a necessidade de uma mobilização suprapartidária para que o Vale do Jequitinhonha finalmente receba as obras necessárias e requereu uma visita técnica da Assembleia à BR-367.


Avatar