Por Mauro Ferreira

Moraes Moreira (8 de julho de 1947 – 13 de abril de 2020) ficou tão sensibilizado com as mortes próximas de João Nogueira (12 de novembro de 1941 – 5 de junho de 2000) e Moreira da Silva (1º de abril de 1902 – 6 de junho de 2000) – ocorridas com diferença de apenas um dia – que o eterno novo baiano decidiu homenagear os bambas cariocas com um samba.

Escrita há 23 anos, em junho de 2000, a letra de Samba no céu foi encontrada em um dos cadernos de Moraes em manuscrito com correções feitas à caneta pelo compositor. Não se sabe é a música existe, mas a letra-poema foi exposta ontem, 12 de novembro, em rede social alimentada pela equipe de Moraes.

Nos versos, Moraes Moreira defende a ideia de vida após a passagem da alma humana pela Terra e manda um abraço para os dois sambistas.

A descoberta da letra de Samba no céu é compartilhada no momento em que a exposição Mancha de dendê não sai – Moraes Moreira está prestes a chegar à cidade do Rio de Janeiro (RJ) após ter sido inaugurada no Museu de Arte da Bahia (MAB), em Salvador (BA), onde a mostra ficou em cartaz de 8 de agosto até 8 de novembro.


Avatar