Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

A baixa cobertura vacinal contra a COVID-19 entre crianças e idosos em Minas tem preocupado as autoridades. Com dias mais frios neste outono e a chegada do inverno no próximo mês, o risco de doenças respiratórias aumenta. Até o momento, segundo o painel Vacinômetro, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), apenas 35% do público infantil tomou as duas doses de proteção contra o coronavírus. Entre os idosos, só 22% deles tomaram a quarta dose ou segunda dose de reforço.

Segundo o secretário de Saúde do estado, o médico Fábio Baccheretti, esse é um ponto importante e necessita atenção. “Estamos chegando na última semana de maio, iniciando o mês de junho, quando começa o inverno, e um ponto que nos preocupa muito é a baixa adesão à vacinação. Nós temos muitas crianças que não buscaram a segunda dose ainda. Temos, também, os idosos que têm que tomar a segunda dose de reforço, ou seja, a quarta dose”, afirmou.

Com a chegada do inverno, outras infecções respiratórias acompanham a sazonalidade, como no caso da COVID-19, e crianças e idosos estão entre os grupos mais suscetíveis a essas doenças.

“Essa baixa adesão nos preocupa muito, porque a doença da covid agora é sazonal e este é o pior momento do ano em relação a essa doença. Então, é muito importante lembrar a todos de tomar a vacina, tanto as crianças, quanto os adultos e idosos, para que a gente atravesse esse momento de maior risco de contaminação. A vacina é a única arma para vencermos essas infecções. Isso nos preocupa e vale esse puxão de orelha. Quem ainda não tomou a vacina vá até o posto de saúde e garanta a sua proteção”, explica Fábio.

Cobertura vacinal em Minas

De acordo com o painel Vacinômetro divulgado nessa segunda-feira (23/5), 89% da população de Minas Gerais já tomou a primeira dose, enquanto 82,6% recebeu a segunda dose, incluindo também as doses únicas.

Já em relação à vacinação de reforço, a cobertura do estado é de 57,3% para a terceira dosagem (1ª dose reforço, ou R1), e de 21,7% para a quarta dose (2ª dose reforço, ou R2). Esta é direcionada a idosos com mais de 60 anos e imunossuprimidos.

Em relação ao público infantil, a cobertura é de 69,4% das crianças com idade entre cinco e 11 anos com a primeira dose. A segunda dose, por sua vez, foi aplicada em 35% da população infantil. Ao todo, são 1,9 milhão de vacinas aplicadas em Minas em crianças, sendo 1,2 milhão para a primeira dosagem e mais de 655 mil para a segunda aplicação. A meta preconizada pelo Ministério da Saúde é de 90% das pessoas com mais de cinco anos com o esquema vacinal primário completo.

Sobre o perfil epidemiológico das doses aplicadas de vacinas contra COVID-19, mais de 50% do total foram em pessoas do sexo feminino. A maior parte dos imunizantes utilizados é da Pfizer, seguido pela AstraZeneca, CoronoVac e Janssen.

Segundo a SES-MG, o maior número de doses aplicadas foi em indivíduos de 30 a 39 anos (8,72%), seguido de 40 a 49 anos (8,38%) e 50 a 59 anos (7,80%). A maioria das aplicações em indivíduos do sexo masculino aconteceu apenas na faixa-etária de 30 a 39 anos (7,98%).

Menor e maior cobertura vacinal pediátrica

A macrorregião de saúde Vale do Aço é a que possui menor cobertura vacinal pediátrica. A primeira dose foi aplicada em 52,91% das crianças, e somente 25,24% receberam a segunda dose, conforme informações do Grupo de Análise e Monitoramento da Vacinação em Minas Gerais (Gamov).

A macrorregião que apresenta o melhor indicador é Jequitinhonha, com 84,16% e 41,42% para D1 e D2, respectivamente.

Atualização

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que o Vacinômetro, painel responsável pelo monitoramento da vacinação contra a covid-19 no estado, voltou a ser atualizado diariamente a partir dessa segunda.

A migração da base de dados para o OpenDataSUS, do Ministério da Saúde, iniciada no dia 5 de maio, teve o objetivo de alinhar os dados do painel com o banco de dados oficial do órgão federal. Até o início do mês de maio, eram utilizados os dados do sistema oficial e, também, os dados preenchidos pelos municípios em formulário eletrônico próprio elaborado pela secretaria.

 


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.