Banda de Música da PMMG, Coral com 80 vozes, Toninho Horta, Júlia Ribas, Eliseth Gomes e 14 Bis estão entre as atrações.

Uma apresentação reunindo um coral com 80 vozes, Toninho Horta, Júlia Ribas, a cantora lírica Eliseth Gomes, a Banda de Música da Polícia Militar de Minas Gerais e o show “14 Bis Acústico” são as atrações de encerramento do FIC – Festival Internacional de Corais – Pampulha 80 anos. As apresentações, com entrada gratuita, serão realizadas no dia 27 de janeiro, a partir de 18 horas, no adro da Igreja da Pampulha.

Toninho Horta, a cantora Júlia Ribas e a cantora lírica Eliseth Gomes se juntam ao grandioso coral para interpretar três músicas favoritas do criador da Pampulha, Juscelino Kubitscheck: “Amo-te muito”, “É a ti flor do céu”, “Peixe Vivo”, “Manuel, o Audaz”, “Aqui, oh” e “Beijo Partido” de sua autoria e Fernando Brant. As 80 vozes serão configuradas no encontro de cinco corais: Coral Ensaio Aberto, Grupo Cantos de Minas, Coral dos Desafinados, Coro Bora Cantar e Coro em Canto.

A participação da banda mineira 14 Bis no FIC Pampulha 80 Anos, está sintonizada com a proposta do Festival Internacional de Corais, uma vez que o quarteto mineiro é reconhecido e admirado por sua qualidade na harmonização das vozes e sua habilidade na utilização de instrumentos acústicos, além da beleza de suas canções.

Com mais de 40 anos de carreira, a banda 14 Bis emplacou vários sucessos, como “Planeta Sonho”, “Linda Juventude”, “Natural”, “Canção da América”, “Caçador de Mim” e “Todo Azul do Mar”, faixas obrigatórias em qualquer apresentação. O show “14 Bis Acústico” inclui também canções que continuam nos corações dos fãs, entre elas, “A Qualquer Tempo”, “Pedra Menina”, “Vale do Pavão”, “Ciranda”, “Carrossel”, “Além Paraiso” e composições mais recentes, como “Sonhando o Futuro” (Cláudio Venturini – Lô Borges) e músicas do grupo O Terço (“Queimada”, “Luz na Escuridão”), Bendegó (“Onde o Olhar Não Mira”) e de Beto Guedes (“Sal da Terra”). O 14 Bis se apresentará com a seguinte formação: Cláudio Venturini (vocal, violão e viola), Sérgio Magrão (vocal e baixo), Vermelho (vocal e teclados) e Hely Rodrigues (Cajon), mais a participação de Christiano Caldas nos teclados.

Reconhecido e admirado internacionalmente por sua riqueza cultural, importância histórica e belezas naturais, o Complexo Arquitetônico da Pampulha surgiu de um projeto do então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, que encomendou ao arquiteto Oscar Niemeyer a criação de um conjunto de edifícios em torno da lagoa da Pampulha: um cassino, uma igreja, uma casa de baile, um clube e um hotel. A inauguração oficial ocorreu em 16 de maio de 1943, nas presenças do presidente Getúlio Vargas e do governador do estado de Minas, Benedito Valadares. O cassino se tornou o Museu de Arte da Pampulha em 1957. Em 17 de julho de 2016, a Pampulha passou a ser considerada Patrimônio Mundial da Humanidade, a partir de uma deliberação da Unesco.

Há mais de 20 anos, o FIC – Festival Internacional de Corais -, coordenado pelo maestro Lindomar Gomes, proporciona apresentações de corais, bandas, congados, orquestras e shows de renomados artistas nacionais e internacionais, atingindo um público superior a 100 mil pessoas, em aproximadamente 60 espaços de 15 cidades de Minas Gerais. Com apresentações sempre gratuitas, o FIC é uma forma de integração entre variadas manifestações da música e da cultura, popular e erudita. O FIC oferece também oficinas de canto coral e educação musical, para aprendizado e intercâmbio de informações.

Coordenador do FIC, Lindomar Gomes é formado em Canto, Canto Gregoriano e Regência Coral pela Fundação Clóvis Salgado (Palácio das Artes). Técnico em Cultura da Secretaria de Estado de Cultura, Lindomar é formado também em Arte-educação pela UEMG e Planejamento e Gestão Cultural pela PUC Minas. Maestro do Coral Ensaio Aberto, ele coordenou vários festivais pelo Estado, como o Festival de Inverno de Itabira e o Festival de Verão de Pedro Leopoldo. Recebeu do governo de Minas Gerais a Medalha Tiradentes pelos relevantes serviços em prol da Cultura Mineira.

A realização do FIC – Pampulha 80 anos conta com o patrocínio da Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Belotur e o apoio das empresas BMA Ambiental, Engesolo, MPRO Tracbel e Cedro.

FIC 2024 – Pampulha 80 Anos – Apresentando Coral com 80 vozes, Toninho Horta, Júlia Ribas, Eliseth Gomes, Banda de Música da Polícia Militar de Minas Gerais e 14 Bis.

Dia 27 de janeiro às 18 horas, no Adro da Igreja da Pampulha.

Entrada gratuita

www.festivaldecorais.com.br


Avatar