Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

O Ministério da Saúde assinou contrato por mais 10 milhões de doses da CoronaVac nesta 3ª feira (15.fev.2022). O custo foi de R$ 364 milhões (R$ 36,4 por unidade). Foi o que afirmou a secretária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite, ao Poder360. A dispensa de licitação para a compra com o Instituto Butantan foi publicada nesta 3ª feira. A vacina contra a covid-19 será usada em crianças. A entrega das doses será imediata.

Inicialmente, o Butantan queria US$ 7,30 por dose (R$ 38,44). Segundo a secretária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite, o ministério conseguiu reduzir o preço. O valor por dose atual é inferior ao do contrato firmado no ano passado entre o Butantan e o governo Bolsonaro.

O preço foi de US$ 10,30 por unidade (R$ 54,24). Eis os preços pagos por vacina em 2o21: CORONAVAC – U$ 10,30 (R$ 54,24); PFIZER – U$ 10 (R$ 52,66); ASTRAZENECA – US$ 3,65 (R$ 19,22); JANSSEN – US$ 10 (R$ 52,66).

A Anvisa liberou a CoronaVac para crianças e adolescentes em 20 de janeiro. Pode ser aplicada a partir de 6 anos em não imunocomprometidos. A agência também já havia aprovado o imunizante da Pfizer para toda a faixa etária de 5 a 11 anos –incluindo crianças com baixa imunidade.

A vacinação de crianças começou em 14 de janeiro, com a Pfizer. O 1º menor de idade recebeu a CoronaVac em 20 de janeiro, logo depois da aprovação da Anvisa. Há 20,5 milhões de brasileiros de 5 a 11 anos, segundo cálculo do IBGE.

O Brasil precisa de 45 milhões de doses para vacinar todas as crianças de 5 a 11 anos com duas doses –considerando 10% de reserva técnica. Para só a 1ª dose, é necessário a metade (22,5).

Fonte: Poder 360


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.