O Governo de Minas Gerais recusou um helicóptero cedido pelo Governo Federal, que seria usado pela Polícia Penal no estado. A cessão da aeronave foi intermediada pelo senador Carlos Viana (PL-MG) junto ao Ministério da Justiça em abril de 2021. A oferta tinha sido aceita pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública do estado e o helicóptero já tinha sido até adesivado com a marca da instituição.

A mudança de posição do governo mineiro surpreendeu o senador Carlos Viana. “Eu lamento muito que, em pleno ano de 2022, estejamos praticando esse tipo de política. Essa mentalidade de política atrasada prejudica as ações e o futuro de Minas. Infelizmente, diante desta decisão política de um comitê ligado ao governador do estado, ficaremos sem o equipamento, deixando de fortalecer as forças de segurança”, lamentou Viana.

Depois de toda a negociação concluída, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública enviou ofício ao gabinete do senador, informando que não havia recursos orçamentários para manutenção da aeronave. ”Ainda que manifestado o amplo interesse desta pasta, não fora obtida autorização por parte do Comitê de Orçamento e Finanças (COFIN), instância central de governança do Poder Executivo Minas Gerais”, diz trecho do ofício.

Para o senador Carlos Viana, “o custo da manutenção da aeronave é mínimo. Se tivermos uma rebelião, fuga ou transferência de presos, os gastos com equipes e todo aparato será muito maior que o gasto com o helicóptero. Infelizmente é uma visão muito limitada de parte do governo estadual”, finalizou o senador.

Correspondência do Governo de Minas Gerais recusando a aeronave


Avatar