Fundado em 1997 pela galerista Raquel Arnaud, o Instituto de Arte Contemporânea (IAC) tem como princípio preservar e disponibilizar para pesquisa uma ampla coleção de documentos relacionados à trajetória e à obra de artistas visuais e arquitetos brasileiros. Em comemoração aos 25 anos de atividades em 2022, o instituto promove no mês de outubro uma série de eventos entre aulas, exposições e encontros diversos.

Em razão da essência e conceito-base do IAC – a contemporaneidade –, a mostra Diálogos contemporâneos: Marilá, Willys, Lothar foi inaugurada em agosto e fica em cartaz até 26 de novembro. Com curadoria assinada por Giancarlo Hannud, a exposição propõe uma interlocução entre a obra da artista mineira Marilá Dardot (radicada no México), com os arquivos, estudos e obras dos artistas Willys de Castro (Uberlândia, 1926 – São Paulo, 1988), brasileiro, e Lothar Charoux (Viena, 1912 – São Paulo, 1987), austro-brasileiro. Reúne 70 itens entre pinturas, cartas, anotações, objetos, aquarelas, colagens, documentos, poemas, entre outros.

Em diálogo com a exposição, o Instituto promove aulas abertas gratuitas sobre os artistas já citados, Willys de Castro e Lothar Charoux, ministradas pelos professores e pesquisadores Roberto Conduru e João Spinelli. A apresentação será feita pela Diretora Técnica do IAC, Marilucia Bottallo. A intenção é ampliar a visibilidade sobre os artistas, figuras relevantes para as artes visuais do país, provocando novas discussões e trazendo-os à tona para o conhecimento das novas gerações.

AULAS ABERTAS E GRATUITAS | Via Zoom | inscrições aqui

Aula 1 – Willys de Castro: um artista pluriativo

Palestrante: Roberto Conduru

Apresentação: Marilucia Bottallo

Quando: 26 de outubro, às 19h

Onde: ao vivo pela plataforma ZOOM

Esta aula traz a perspectiva de Roberto Conduru sobre a pluralidade e versatilidade do artista no âmbito das artes visuais. Com um vasto conhecimento sobre a produção de Willys, Conduru publicou, entre outros títulos, os livros: “Willys de Castro” pela Cosac & Naify, em 2005, e “Willys de Castro” da coleção Folha Grandes Pintores Brasileiros, em 2013.

Aula 2 – Lothar Charoux: um paradigma da arte brasileira no século XX

Palestrante: João Spinelli

Apresentação: Marilucia Bottallo

Quando: 27 de outubro, às 19h

Onde: ao vivo pela plataforma ZOOM

Nesta aula, João Spinelli aborda a obra e a trajetória de Lothar Charoux enquanto um modelo para a arte do século passado, e analisa como sua produção pode ser vista e estudada no contexto atual.

25 anos de IAC

Com mais de 70 mil itens em seu acervo, a coleção do Instituto se compõe de estudos, cadernos de anotações, projetos, protótipos, fotografias, fotogramas, cartas, documentos pessoais, materiais gráficos, entre outros formatos. Integram o extenso acervo do IAC obras dos artistas Antonio Dias, Hermelindo Fiaminghi, Iole de Freitas, Ivan Serpa, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Sergio Camargo, Sérvulo Esmeraldo, Willys de Castro e o arquiteto, Jorge Wilheim. Os acervos de Amilcar de Castro e Carmela Gross serão integrados em breve.

Para além de um centro de documentação e pesquisa, o Instituto oferece uma programação de exposições, cursos, seminários, bolsas de pesquisa e ações educativas voltadas para diversos públicos. Até o presente ano (2022) foram produzidas 35 exposições e 27 publicações entre livros e catálogos. Além disso, o IAC investe em diversas formas de produção de conhecimento, realizando também visitas mediadas, seminários, cursos, aulas abertas e oficinas para públicos diversos. 2 Prêmios A.P.C.A — Associação Paulista de Críticos de Arte, na categoria Artes Visuais por Melhor Atividade Cultural em 2006 e 2020.

Em 2020 o Instituto ganhou sua sede definitiva. O prédio conta com uma reserva técnica com capacidade para acomodar mais de 300 mil itens e todas as exigências museológicas para a preservação e proteção dos acervos que abriga. Além disso, oferece áreas técnicas para processamento, tratamento e digitalização de documentos, espaço expositivo, biblioteca para atendimento aos pesquisadores, sala de cursos, área administrativa e espaço para um café e uma livraria.

Objetivos fundamentais

1. Disponibilizar gratuitamente uma documentação bibliográfica e museológica de artistas visuais e profissionais que tiveram uma trajetória relacionada à arte contemporânea brasileira; 2. Divulgar a trajetória dos artistas presentes na coleção, tornando seus arquivos acessíveis ao público permanentemente; 3. Promover ações de formação e pesquisa, e intercâmbios culturais com museus e instituições no Brasil e exterior, e 4. Promover ações de inclusão sociocultural e de acessibilidade por meio do programa educativo e de parcerias com escolas e organizações de desenvolvimento social.

Linha do tempo

1997 – Fundação do IAC pela galerista Raquel Arnaud. Originalmente instalado na casa Hum. O Instituto começou sua história com os acervos dos artistas Willys de Castro e Sergio Camargo;

2001 – Por meio de contrato de comodato com a USP, passou a funcionar no Centro Universitário Maria Antônia;

2007 – Ganhou o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (A.P.C.A) na categoria: Artes Visuais como Melhor Atividade Cultural em 2006;

2011 – A sede foi transferida para o Centro Universitário Belas Artes de São Paulo;

2012 — 2017 – Foram incorporados os acervos dos artistas Sérvulo Esmeraldo, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Hermelindo Fiaminghi e Iole de Freitas, nesta ordem;

2017 – O Instituto completou 20 anos de história, realizando a exposição “IAC 20 Anos”, com curadoria de Jacopo Crivelli Visconti;

2019 – O acervo do artista Ivan Serpa foi incorporado ao acervo do instituto;

2020 – A sede própria foi inaugurada na Av. Doutor Arnaldo, e o acervo do arquiteto Jorge Wilheim foi incorporado à coleção;

2021 – O IAC ganhou o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (A.P.C.A) na categoria: Artes Visuais como Melhor Atividade Cultural em 2020. O acervo de Antônio Dias foi incorporado à coleção;

2022 – No presente ano o IAC comemora 25 anos de atividades. Para celebrar esta data tão especial, diversas ações foram programadas para acontecerem ao longo do ano. Destacam-se o show “Lágrimas no Mar” com Arnaldo Antunes e Vítor Araujo, ação beneficente em prol do IAC; a exposição Diálogos Contemporâneos que inaugura um novo projeto institucional, que prevê convite a artistas para desenvolverem projetos em relação à coleção do instituto; por fim, destacamos a implementação do programa de bolsas de pesquisa voltado para pesquisas acadêmicas e pesquisas independentes.

Prêmios

O Instituto de Arte Contemporânea foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (A.P.C.A) duas vezes, em 2007 e em 2021.

Prêmio A.P.C.A 2021

Categoria: Artes Visuais como

Melhor Atividade Cultural em 2020

Prêmio A.P.C.A 2007

Categoria: Artes Visuais como

Melhor Iniciativa Cultural em 2006

Serviço

Aulas abertas – Willys de Castro e Lothar Charoux, ministradas por Roberto Conduru e João Spinelli

As inscrições devem ser feitas neste link. As aulas são gratuitas e acontecem via Zoom.

Datas: 26 e 27 de outubro de 2022, às 19h.

Exposição Diálogos contemporâneos: Marilá, Willys, Lothar, com curadoria de Giancarlo Hannud.

Entrada gratuita.

Visitação: Terça a sexta-feira, das 11h às 17h; sábados, das 11h às 16h.

Instituto de Arte Contemporânea – IAC – Avenida Dr. Arnaldo, 120/126, São Paulo, SP

Próximo às linhas Paulista (Amarela) e Clínicas (Verde) do Metrô

Tel: + 55 11 3129-4898 // [email protected]

https://www.iacbrasil-online.com


Avatar