O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta terça-feira que o Brasil explore petróleo na região da Foz do Amazonas e disse que “em algum momento” irá se reunir com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e com os presidentes do Ibama e da Petrobras para tomar uma decisão sobre a questão.

Em entrevista à rádio CBN, Lula afirmou ser natural que órgãos do governo tenham posições diferentes sobre a exploração na região, mas que o país não pode deixar de “ganhar dinheiro com esse petróleo”.

“Em algum momento eu vou chamar o Ibama, Petrobras e Meio Ambiente na minha sala para tomar uma decisão. Esse país tem governo, e o governo reúne e decide. As pessoas podem ter posições técnicas que vamos debater tecnicamente” afirmou Lula.

O presidente admitiu que a defesa da exploração do combustível soa contraditório no governo, que prega uma transição para energias limpas, mas que Brasil não pode abrir mão do faturamento obtido a partir do petróleo.

“O que não dá é para a gente dizer a priori que vamos abrir mão de explorar de uma riqueza, que se for verdade as previsões é uma riqueza muito grande para o Brasil. É contraditório? É porque estamos apostando muito na transição energética. Mas enquanto transição energética não resolve o nosso problema o Brasil tem que ganhar dinheiro com esse petróleo.”

Em evento na semana passada, Lula também havia defendido que o Brasil é um dos países com matriz energética “mais limpas do mundo”, citando o histórico do país de apostar em biocombustíveis. O presidente também se disse interessado em buscar parceiros externos para que o país, em lugar de exportar matérias-primas, invista em cadeias de produção limpas no próprio Brasil, dando como exemplo a produção de carros elétricos.

A declaração de Lula nesta terça-feira acontece pouco menos de uma semana após o presidente do Ibama, Rodrigo Agostinho, afirmar em entrevista ao GLOBO que “o brasileiro não vai ficar sem gasolina”, caso a Petrobras não explore o óleo na Foz do Amazonas.

“A opinião pública não sabe que existe um mundo além da Foz do Amazonas, eu tenho uma lista de coisas aqui que são tão relevantes para a produção de petróleo quanto essa. O brasileiro não vai ficar sem gasolina por causa disso” disse Agostinho na ocasião.