A empresa estatal de gás da Finlândia, Gasum, continuou comprando gás natural das russas Gazprom e Novatek, informou a agência de notícias finlandesa.

A Gasum, a maior distribuidora de gás natural liquefeito (GNL) da Escandinávia, importou € 175 milhões (cerca de R$ 983,8 milhões) em gás da Rússia desde fevereiro de 2022 sob um contrato de longo prazo com a Gazprom, informou a agência, citando números da alfândega finlandesa.

O contrato é o chamado contrato ‘take-or-pay’, comum nos contratos de fornecimento de gás. Significa que a Gasum é obrigada a pagar por certa quantidade de gás natural liquefeito todos os anos, quer o obtenhamos de Rússia ou não“, disse a empresa em um e-mail, obtido pela agência de notícias.

Ela insiste que importa apenas “a quantidade mínima de GNL da Rússia, conforme estipulado no contrato” e que nenhuma remessa extra foi acordada ou vai ser encomendada no futuro.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou na primavera passada no Hemisfério Norte que os pagamentos a empresas russas fossem feitos em rublos, em vez de euros ou dólares. A Gasum se recusou a trocar a moeda e levou a Gazprom a um tribunal de arbitragem em Estocolmo, que decidiu em dezembro que a Gasum estava com mais de € 300 milhões (cerca de R$ 1,7 bilhão) em atraso pelo gás e que a interrupção das entregas da Gazprom era justificada. O tribunal também concluiu que Gasum não era obrigada a pagar em rublos. As empresas foram instruídas a continuar suas negociações.


Avatar

administrator