O embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, afirmou em entrevista à GloboNews nesta sexta-feira (3) que o Ministério das Relações Exteriores mantém diálogo intenso para permitir que os cerca de 30 brasileiros na Faixa de Gaza sejam autorizados a deixar a zona de confronto.

Segundo Meyer, o ministro Mauro Vieira deve conversar por telefone ainda nesta sexta com o ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, para viabilizar a inclusão dos brasileiros nas listas de autorizados a fazerem essa travessia no posto de Rafah, entre Gaza e o Egito.

Eu posso dizer que ontem, o ministro Mauro Vieira conversou com o chanceler egípcio [Sameh Shoukry]. E hoje à tarde, no horário de Israel, ele vai conversar com o chanceler israelense [Eli Cohen]”, declarou.

Ainda de acordo com o diplomata, atualmente essas listas são definidas em conjunto por autoridades de quatro países: Catar, Estados Unidos, Israel e Egito.

Até esta sexta, três listas de estrangeiros foram autorizadas a deixar a Faixa de Gaza, cada uma com cerca de 500 pessoas. Nenhum brasileiro foi incluído nesses grupos.

Questionado pela GloboNews, Meyer negou que as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) condenando os bombardeios israelenses em Gaza tenham impactado negativamente a negociação.

“É uma ilação um pouco apressada. Existem 6 mil pessoas que estão esperando sair, o Egito declarou que só pode atender a 500 pessoas por dia. O controle dessa entrada é do Egito, não de Israel. Se você tira 500 pessoas por dia, e tem 6 mil, você vai ter 5,5 mil descontentes”, ponderou o diplomata.

“Se você fizer uma análise dos países que estão saindo, essa afirmação da relação bilateral com Israel não se sustenta. Na primeira leva, estava a Indonésia, um país muçulmano que nem reconhece o estado de Israel. E, no entanto, foi contemplado com seus cidadãos”, afirmou.

Brasileiros ficam de fora de nova lista de estrangeiros autorizados a deixar a Faixa de Gaza.

A terceira lista

As autoridades de Gaza divulgaram uma nova lista com nomes de civis que poderão deixar o território, após um acordo fechado entre Israel, Egito e o Hamas, nesta sexta-feira (3). Mais uma vez, brasileiros foram deixados de fora da relação.

Ao todo, a lista traz 571 nomes de pessoas com cidadania nos Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Indonésia, Alemanha e México. Este é o terceiro grupo de estrangeiros autorizado a deixar o território desde o início do conflito.

Brasileiros que estão na Faixa de Gaza afirmam que estão aflitos com os bombardeios e relatam dificuldades na comunicação com parentes. A região também enfrenta escassez de água, alimentos e remédios.

“Mais um dia triste, mas chegará a nossa vez”, escreveu o embaixador do Brasil na Palestina, Alessandro Candeas, em um grupo com os brasileiros que estão em Gaza.

Já o embaixador do Brasil no Egito, Paulino Franco de Carvalho Neto, afirmou que tudo depende de uma autorização das autoridades israelenses.

“Para o governo egípcio, segundo nos foi dito mais de uma vez, não há qualquer dificuldade para autorizar imediatamente a entrada dos brasileiros no Egito, no entendimento de que eles irão em seguida para o Brasil”, afirmou.

Um avião da Força Aérea Brasileira, que já está em território egípcio, deve ser usado para trazer o grupo de volta ao Brasil.

Os brasileiros que aguardam em Gaza afirmaram que o governo enviou um comunicado prometendo acolhimento com atendimento médico, assistência social e regularização migratória.

Ainda não há previsão para quando os brasileiros serão autorizados a deixar a região.


Avatar