Minas Gerais é o estado do Brasil com o maior número de denúncias de práticas abusivas nos preços de combustíveis. De acordo com a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), são 149. A iniciativa começou nesta segunda-feira (22).

Na sequência de Minas Gerais, vêm os estados do Ceará (82), São Paulo (79), Bahia (74) e Alagoas (72). Os números são parciais e foram divulgado pelo órgão nesta terça-feira (23).

A abertura do canal de denúncias aconteceu cinco dias depois do anúncio de queda dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis pela Petrobras.

Segundo o presidente da estatal, Jean Paul Prates, as reduções nas distribuidoras são as seguintes:

gasolina A: redução de R$ 0,40 por litro (-12,6%);
diesel A: redução de R$ 0,44 por litro (-12,8%);
gás de cozinha (GLP): redução de R$ 8,97 por botijão de 13 kgs (-21,3%).

Para verificar se os postos de combustíveis estão repassando a queda do valor nas bombas para o consumidor final, a Senacon coordena, nesta quarta-feira (24), o “Mutirão do Preço Justo”.

O órgão disse que conta com colaboração de entidades como Procons, Ministério Público, Defensoria Pública, Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O relatório com os dados será apresentado na próxima terça-feira (30).


Avatar