Morreu aos 83 anos a cantora Tina Turner. Considerada um dos maiores vocais do rock, a cantora morreu na Suíça, em sua casa, na cidade de Kusnacht, perto de Zurique. A informação foi confirmada pelos seus porta-vozes através das redes sociais.

“Tina Turner, a Rainha do Rock’n Roll, morreu em paz hoje aos 83 anos após uma longa doença”, confirmou o porta-voz da cantora. “Com ela, o mundo perde uma lenda da música e um modelo a ser seguido”, declarou, sobre a artista que ficou famosa mundialmente por seus hits R&B.

Embora a causa da morte não tenha sido anunciada, Tina passou por problemas de saúde recentes. Em 2016, ela foi diagnosticada com câncer no intestino e, no mesmo ano, sofreu um AVC. Em 2017, precisou passar por um transplante de rim. O órgão foi doado por seu marido, o produtor musical Erwin Bach, com quem era casada desde 2013.

É com grande pesar que anunciamos a morte de Tina Turner”, anuncia o texto publicado em suas redes sociais. “Com sua música e sua paixão sem limites pela vida, ela encantou milhões de fãs pelo mundo e inspirou as estrelas de amanhã. Hoje, dizemos adeus a uma querida amiga que deixa para todos nós seu maior trabalho: sua música.”

Nascida Anna Mae Bullock em 26 de novembro de 1939 nos Estados Unidos, Tina Turner é filha de Zelma Priscilla Currie e Floyd Richard Bullock. Sua família morava em uma comunidade rural do Tennessee e, durante a infância, Tina chegou a colher algodão nos campos com a família.

A mais nova de três irmãs, Tina foi uma das vozes mais adoradas da música. Seus grandes sucessos incluem músicas como “What’s Love Got to Do with It”, “The Best”, “Proud Mary” e “I Don’t Wanna Lose You”.

O início da carreira Tina foi por volta de 1957, quando foi descoberta por Ike Turner em um clube noturno que frequentava com as irmãs. A partir de então, ela começou a cantar com ele e, a partir da década de 1960, os dois saíram em turnê no duo Ike & Tina Turner.

A dupla ganhou notoriedade em todos os Estados Unidos, embalando sons de R&B e rock. O enorme sucesso dos dois enquanto dupla chegou ao fim em virtude do vício de Ike em cocaína, e dos anos de abuso físico e emocional pelos quais ela passou ao lado dele. Ela pediu o divórcio em julho de 1976 e, nesta época, já começava a preparar sua carreira solo.

Entre 1974 e 1979, Tina lançou quatro álbuns de estúdio. O primeiro rendeu a ela uma indicação ao Grammy e o segundo veio na esteira do sucesso do filme “Tommy”. Já os outros dois não tiveram tanto sucesso e, nesta época, Tina chegou a trabalhar como regular em uma série de TV da Itália e passou um tempo sem gravar.

Em 1983, seu quinto álbum de estúdio vem para se tornar um sucesso mundial. “Private Dancer” contava com o hit “What’s Love Got to do With It”, e ganhou o Grammy de Gravação do Ano, sendo o seu primeiro e único número um no ranking Hot 100 da Billboard. Em 1988, Tina entrou para o Guinness Book como o maior show já feito por uma cantora solo, no Maracanã, Rio de Janeiro.

Em 1995, Tina mudou-se para a Suíça, e a pequena cidade de Kusnacht tornou-se sua casa. Ela se naturalizou suíça em 2013, no mesmo ano em que se casou com o produtor musical Erwin Bach. Ela teve dois filhos, Craig e Ronnie, que morreram respectivamente em 2018 e 2022. Ike Jr. e Michael eram filhos de Ike que foram adotados por ela durante o casamento.

A história de Tina Turner já foi contada no filme de 1993 “Tina” e no musical da Broadway “Tina – The Tina Turner Musical”.


Avatar