O ano de 2023 registrou o maior movimento na história do Porto Seco, com a corrente de comércio desembaraçada superando em 3,27% o valor de 2022. O fluxo total atingiu US$ 6,7 bilhões (6.670.561.311,66), divididos em US$ 3,9 bilhões de exportações (US$ 3.992.081.284,19) e US$ 2,7 bilhões de importações (US$ 2.678.480.027). Comparativamente, em 2022, o Porto Seco de Foz do Iguaçu liberou US$ 6,5 bilhões, distribuídos entre US$ 3,7 bilhões em exportações e US$ 2,8 bilhões em importações.

O Porto Seco de Foz do Iguaçu reafirmou sua liderança como o maior da América Latina em movimentação de veículos, com 176.090 caminhões liberados ao longo de 2023.

Analisando os dados de movimentação de cargas ocorridas no Porto Seco de Foz do Iguaçu em 2023, percebe-se que houve uma menor movimentação no fluxo de caminhões (-12,51%) quando comparado a 2022, quando foram liberados 201.262 e em 2023 foram liberados 176.090 caminhões.

Fluxo de Veículos

Durante o ano de 2023 foram liberadas 89.367 cargas de importação, já em 2022 foram liberadas 113.699 cargas. Destes números, as cargas de procedência paraguaia foram 59.461 cargas em 2023 e 83.910 em 2022. Já, as de procedência Argentina, em 2023 foram 29.906 e 29.789 em 2022. Em relação às exportações, em 2023, foram liberadas 11.605 cargas com destino à Argentina, e 75. 118 cargas para o Paraguai, totalizando 86.723 cargas. Em 2022 os números foram 26.036 destinadas à Argentina e 71.527 cargas ao Paraguai, totalizando 87.563 cargas. Fazendo uma abordagem por país, o fluxo de caminhões, entre exportações e importações temos:

Com o Paraguai o fluxo totalizou 134.579 passagens, sendo 59.461 na importação e 75.118 na exportação, em 2023. Os números de 2022 foram 83.910 e 71.527, respectivamente entre exportações e importações, com o total de 155.437 caminhões.

Com a Argentina o fluxo totalizou 41.511 passagens, sendo 29.906 na importação e 11.605 na exportação, em 2023. Os números de 2022 foram 29.789 e 16.036, respectivamente entre exportações e importações, com o total de 45.825 caminhões.

Isso nos mostra que o fluxo de cargas realizado com o Paraguai representou 76,42% em 2023. Ou seja, um aumento de 7,07% em relação a 2022, que foi de 69,35%, relação ao total, ressaltando a importância do fluxo comercial com esse País.

Outro aspecto observado é que em 2023, as importações representam 50,75% do fluxo de caminhões e as exportações representam 49,24%.

Produtos

Uma infinidade de produtos passa pelo Porto Seco de Foz do Iguaçu durante todos os anos. Em 2023, os principais gêneros exportados para o Paraguai foram cimento, fertilizantes, adubos e maquinários agrícolas; e para a Argentina foram veículos automotivos, peças e madeiras.

Já as principais mercadorias oriundas do Paraguai foram grãos (arroz, trigo, milho, soja), carne, ferro e têxtil; e da Argentina vieram peixes, frutas, alho, azeitonas, feijão, farinha de trigo e celulose.

Foz do Iguaçu vem se consolidando a cada ano que passa no segmento de logística e incrementando cada vez mais o comércio internacional que circula por este ponto de fronteira. Para contribuir para o desenvolvimento do comércio formal entre os países vizinhos, a Receita Federal do Brasil também tem o comprometimento com a fluidez, previsibilidade e segurança das operações dos intervenientes do comércio exterior, pelo programa Operador Econômico Autorizado (OEA). Ou seja, a Receita Federal do Brasil, busca cada vez mais a inovação com o escopo de atender de maneira mais eficiente os usuários do Porto Seco de Foz do Iguaçu.

Segundo o delegado da Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu, o auditor-Fiscal Paulo Bini, o novo Porto Seco de Foz do Iguaçu vai dobrar a capacidade de movimentação de cargas de exportação e importação na região da Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, poderá receber até 1,5 mil caminhões diariamente, ante os pouco mais de 700 atuais e impactar e gerar mais agilidade no fluxo de caminhões e movimentação de cargas e ainda com a nova ponte Brasil/Paraguai vai acabar com os transtornos provocados pelo tráfego de caminhões pela região central da cidade de Foz do Iguaçu, gerando mais segurança para os habitantes e turistas e conforto para o caminhoneiro além de evitar a formação de filas de veículos na BR-277. A previsão que a obra do novo porto seco esteja pronta no segundo semestre de 2025.


Avatar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *