A porcentagem de entrevistados que votaria no partido Reagrupamento Nacional aumentou à custa dos partidos que estão a favor do atual presidente da França, segundo uma nova pesquisa.

O descontentamento frente à reforma do sistema de pensões na França levou alguns eleitores a mudar sua intenção de voto para o partido de direita de Marine Le Pen, determinou no sábado (25) uma pesquisa da empresa Ifop para o jornal francês Le Journal du Dimanche.

Assim, se as eleições legislativas fossem realizadas atualmente, 26% dos 1.094 adultos entrevistados via internet na última segunda-feira (20) e terça-feira (21) apoiariam os candidatos do Reagrupamento Nacional (Rassemblement National, em francês). Trata-se de uma proporção maior em cinco pontos porcentuais que na pesquisa anterior, em novembro, antes de uma série de greves e protestos contra a reforma previdenciária impopular.

Os políticos da aliança Nupes, de partidos de esquerda e verdes, obteriam 26%, mais um ponto porcentual que na época. Enquanto isso, o grupo de partidos que apoiaria o presidente Emmanuel Macron teria os votos de 22% dos entrevistados, menos cinco pontos.

A margem de erro na pesquisa foi de cerca de 2,5-2,8 pontos, segundo a Ifop.

Milhões de pessoas se juntaram a uma série de greves e manifestações em toda a França desde meados de janeiro contra a revisão do sistema de pensões pelo governo, que pretende aumentar a idade de reforma de 62 anos para 64.

Os protestos se intensificaram nos últimos dias, depois que o governo de Macron usou o artigo 49.3 da Constituição francesa para evitar uma votação na Assembleia Nacional. A reforma tem oposição particular entre os jovens.


Avatar

administrator