Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

A aliança teria sido definida em reunião com Kalil e dirigentes do PSD, no começo da tarde desta segunda (13). A escolha pela aliança com o ex-prefeito de BH se deu, de acordo com Bivar, pelo fato de o PSD não ter candidatura para presidente. Seu palanque em Minas, portanto, será o de Kalil, que também está apoiando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“O Kalil tem o candidato dele, mas nem por isso ele vai estar contra a gente”, afirmou Bivar que disse que o União Brasil não vai apoiar Marcus Pestana (PSDB), porque os tucanos, nacionalmente, vão apoiar a candidatura de Simone Tebet (MDB).

“Eu quero que o Kalil me abra as portas para eu fortalecer minha chapa aqui, o palanque aí vai ser feito com os nossos deputados”, completou Bivar.

O União Brasil chegou a ser cotado para indicar o deputado Bilac Pinto (União) vice na chapa à reeleição do governador Romeu Zema (Novo), mas fechou acordo com o PSD. Kalil tem, agora, cinco apoios oficiais: PT, PV, PCdoB, Rede e União.

Por nota, a assessoria de Kalil confirmou a aliança com o União Brasil.

“O pré-candidato ao governo de Minas pelo PSD, Alexandre Kalil, firmou hoje aliança com o partido União Brasil. Kalil esteve em Brasília em reunião com Luciano Bivar, presidente do União Brasil, e Antônio Rueda, vice-presidente da legenda”, diz.

Ao contrário do informado por Bivar, presidente estadual do União Brasil, deputado Marcelo Freitas, negou que o apoio do partido à candidatura de Alexandre Kalil esteja definido em Minas Gerais e que a decisão final será tomada pela direção mineira da sigla e que estão abertos ainda a negociações.

“Não houve nenhuma decisão do União Brasil de Minas sobre essa questão. Temos dialogado com vários atores, dentre esses o governador de Minas, Romeu Zema, com quem já tivemos inclusive o convite para composição na chapa majoritária”, afirmou o deputado.

Segundo ele, a direção estadual foi comunicada da reunião realizada nesta segunda-feira entre Bivar e Kalil, mas garantiu que a “palavra final” sobre a questão será decidida na convenção estadual do partido.

“As convenções em cada estado são responsáveis pela palavra final. Compreendemos que ainda existe espaço para o diálogo partidário”, pontuou Freitas.

“A nossa decisão final será tomada no momento certo, antes das convenções, tendo como premissas essenciais a integridade partidária e o desempenho político-eleitoral do Partido em nosso Estado”, completou e disse que irá se reunir com o presidente nacional, Luciano Bivar, para melhor discutir o assunto.


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.