Uberlândia (Triângulo Mineiro) vai sediar na segunda-feira, dia 17/6/24, o sexto encontro reginal do Seminário Técnico Crise Climática em Minas Gerais: Desafios na Convivência com a Seca e a Chuva Extrema, realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para buscar soluções capazes de minimizar os impactos da crise climática.

O encontro será aberto às 9 horas, no auditório do Campus Via Centro da Uniube – Universidade de Uberaba (avenida Afonso Pena, 1177, Centro de Uberlândia), onde a programação se estende até 18 horas. O evento é aberto ao público, com inscrições online até 14/6, às 15 horas; ou presencialmente, no dia do encontro.

Após a mesa de abertura, haverá às 10 horas um painel sobre o panorama climatológico da região, seguido da apresentação de boas práticas na convivência com os desafios impostos pelo ambiente.

O painel estará a cargo do engenheiro florestal Argemiro Teixeira Leite, graduado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), mestre em Meteorologia Aplicada e doutor em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Às 14 horas, é a vez da Plenária: Diagnóstico regional sobre os impactos da crise climática, trazendo especialistas como comentaristas, sendo eles: Rildo Aparecido Costa, mestre e doutor em Geografia, professor da Universidade Federal de Uberlândia e coordenador do Laboratório de Climatologia da instituição; e Fernando Caixeta Lisboa, doutor em Sistemas Sustentáveis de Energia pelo programa MIT Portugal e professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro.

Fernando Caixeta Lisboa é também membro da Aliança Brasileira de Pesquisa em Finanças e Investimentos Sustentáveis (BRASFI) e do grupo gestor do programa ABC+ (Agricultura de Baixo Carbono) em Minas Gerais.

Durante o encontro haverá momentos abertos à participação do público, pela manhã e à tarde. As apresentações e contribuições da programação em Uberlândia, assim como as dos demais encontros regionais, vão subsidiar propostas para a convivência com situações climáticas.

Seminário busca soluções de longo prazo

O Seminário Técnico Crise Climática em Minas Gerais: Desafios na Convivência com a Seca e a Chuva Extrema tem o objetivo de construir soluções estruturantes e de longo prazo para a convivência com os fenômenos climáticos extremos. O lançamento ocorreu em 14 de março deste ano, na ALMG.

Paralelamente aos encontros promovidos em diversas regiões do Estado, grupos de trabalho discutem planos e políticas públicas já existentes e apresentam sugestões para aprimorá-los.

A etapa final do seminário será realizada na ALMG nos dias 8 e 9 de agosto, na ALMG. Ao final do trabalho, a Assembleia terá em mãos um relatório contendo diretrizes e sugestões para nortear a elaboração de uma agenda para a atuação do Legislativo.

Essa é uma discussão política e técnica, que iniciamos há vários meses. Com o seminário, produziremos um amplo relatório para nortear ações. Vamos definir como o Legislativo pode atuar, na prática, para ajudar a amenizar os efeitos nocivos das mudanças climáticas”, afirmou o deputado Tadeu Martins Leite.

As propostas apresentadas pelos participantes do evento poderão se desdobrar em pedidos de providências para autoridades, projetos de lei para aprimorar políticas públicas e emendas ao Orçamento do Estado e ao Plano Plurianual de Ação Governamental.

Além disso, por meio de parceria da ALMG com o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), serão fomentados projetos de inovação tecnológica voltados para o enfrentamento da crise climática.

Novos exemplos de boas práticas na convivência com os desafios ambientais

Projeto FIP Paisagens Rurais: É financiado com recursos do Programa de Investimento Florestal gerenciados pelo Banco Mundial. Seu foco é a gestão integrada da paisagem do Bioma Cerrado, preparando o produtor rural para recuperar e conservar a vegetação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e Reserva Legal, além de incentivar a adoção de tecnologias de baixa emissão de carbono.

Programa Água Cristalina: Seu objetivo é preservar a Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Uberaba, com ações direcionadas às propriedades rurais inseridas na APA para proteger, recuperar nascentes, recompor solos e matas ciliares, garantir a melhoria da qualidade da água e o aumento da disponibilidade hídrica na cidade e no campo.

Projeto Agro + Verde: Tem como objetivo promover ações de intervenção em áreas degradadas de pastagens e vegetação nativa nas áreas de preservação permanente e reserva legal. O projeto visa, por meio de assistência técnica e gerencial, fornecer parte dos insumos e capacitação dos produtores rurais.


Avatar

administrator