O ex-presidente dos Estados Unidos e candidato republicano às eleições deste ano, Donald Trump, foi condenado nesta quinta-feira (30) por todas as 34 acusações pelo júri em Nova York por fraude e suborno a uma atriz pornô.

O tribunal do júri de Nova York considerou Donald Trump culpado no caso em que responde criminalmente por falsificação de registros financeiros relacionados ao pagamento de uma atriz pornô dos Estados Unidos. A próxima etapa no processo judicial após o veredicto do júri é a sentença, que será dada no dia 11 de julho.

A condenação acontece a quase seis meses das eleições e é a primeira da histórica de um ex-presidente norte-americano. Porém, a decisão não impede a continuidade da campanha para um novo mandato por Trump.

Trump ainda tem o direito de apelar contra a decisão condenatória. No entanto, isso não impede a candidatura.

O ex-presidente foi acusado de 34 crimes de falsificação de registros de pagamentos feitos a duas mulheres, incluindo a atriz pornô Stormy Daniels, para silenciá-las sobre seus supostos casos. A pena máxima possível pela soma das acusações contra Trump é de 136 anos de prisão.

Conforme as investigações, Trump teria pago US$ 130 mil (R$ 676,4 mil) à atriz para não afetar a campanha presidencial em 2016, quando venceu a candidata democrata Hillary Clinton.

O republicano declarou ser inocente e afirmou que não há base para o processo. Trump acredita que a perseguição é motivada politicamente e está relacionada com sua intenção de concorrer à presidência em 2024. Além disso, o ex-presidente alegou que vai “lutar até o fim”.

“Foi uma vergonha [o resultado]. Continuaremos a lutar até o fim”, declarou na saída do tribunal.

Já o governo do presidente Joe Biden declarou que “ninguém está acima da lei” no país. “Trump sempre acreditou erroneamente que nunca enfrentaria consequências por violar a lei para seu próprio ganho pessoal, mas o povo norte-americano só pode mantê-lo fora do Salão Oval votando independentemente do veredito”, afirmou o governo Biden em comunicado.

Reações à condenação de Trump

O presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, o republicano Mike Johnson, criticou a condenação de Trump e classificou como um “dia vergonhoso na história norte-americana”.

“Hoje é um dia vergonhoso na história norte-americana. Os democratas comemoraram ao condenar o líder do partido opositor com acusações ridículas, baseadas no testemunho de um criminoso condenado e desqualificado. Isto foi um exercício puramente político, não jurídico”, disse.

Johnson afirmou ainda que a instrumentalização do sistema de justiça pela administração Biden é evidente na decisão, que mostra os esforços incessantes dos democratas para esmagar os oponentes políticos.

“O povo norte-americano vê isso como guerra jurídica, e sabe que está errado — e é perigoso. O presidente Trump vai apelar legitimamente desse veredicto absurdo — e ele vencerá”, acrescentou Johnson.


Avatar

administrator