Nos dias 16 e 17 deste mês, Belo Horizonte recebe o 8º Congresso e Feira de Geração Distribuída, o 3º Fórum Internacional do Hidrogênio e o 5º Energy Storage Brasil. Os eventos vão estimular o debate sobre a inserção de fontes limpas e renováveis na matriz energética brasileira, que são consideradas essenciais para que o país alcance as metas e compromissos assumidos nos tratados internacionais. Pessoas da comunidade universitária devem preencher formulário de inscrição para participar gratuitamente da programação. As atividades ocorrerão no Expominas, no bairro Gameleira.

O professor Victor Flores Mendes, do Departamento de Engenharia Elétrica da Escola de Engenharia da UFMG, conta que os desafios relacionados à matriz energética são grandes, pois o volume de energia elétrica consumida em residências, comércios, indústrias, órgãos públicos e instituições de ensino tem aumentado ao longo dos anos no país. Segundo ele, o evento é essencial para a aproximação entre o mercado e a academia.

Essa aproximação possibilita que ocorra atualização sobre as tendências e desafios do mercado de fontes renováveis de energia. A possibilidade de a UFMG estar junto a empresas e pessoas que trabalham no setor é uma maneira de fazer o mercado e a universidade convergirem. Ao conhecer os problemas desse mercado, a UFMG pode desenvolver projetos para ajudá-lo”, explica.

Victor Mendes acrescenta que o envolvimento da UFMG no evento corrobora para a ampliação do debate acerca da temática que, segundo ele, tem ocupado lugar de destaque nos encontros internacionais. “A energia eólica e a energia fotovoltaica, por exemplo, têm crescido a passos gigantescos. Precisamos lembrar que a energia renovável traz desafios, como os problemas técnicos relacionados à sua distribuição pelas concessionárias. O Brasil tem papel de destaque na geração de energias eólica e fotovoltaica, então precisamos marcar presença nos debates acerca desse assunto”.

O vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira afirma que a UFMG é referência na área de energias renováveis e, por isso, tem muito a contribuir com essa discussão. “Energia de fonte sustentável é algo que preocupa o mundo inteiro. É um tema que se relaciona diretamente com a sustentabilidade do planeta, com o cumprimento das metas de emissão de carbono e com mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Energia limpa também é fundamental para o desenvolvimento social e econômico do país sem degradar o meio ambiente, e o Brasil tem potencial para liderar essa transição energética demandada por grande parte da comunidade internacional. No entanto, não se altera uma matriz energética sem tecnologia de ponta, cujo desenvolvimento é atribuição dos centros de pesquisa e das universidades”, argumenta o vice-reitor, que coordena as ações institucionais da UFMG no campo da sustentabilidade.

Painel

Além de conhecer as demandas do mercado, o professor Victor Mendes conta que a UFMG vai apresentar projetos que tem desenvolvido no campo da energia limpa e renovável. Durante o evento, o professor participará de painel sobre as iniciativas da Universidade no âmbito de geração distribuída e da eficiência energética.

“Nosso estande contará com a participação do Departamento de Gestão Ambiental (DGA) da Pró-reitoria de Administração da UFMG, que cuida da parte de gestão de energia da Universidade. Vamos mostrar, por exemplo, o Projeto Oásis, que congrega entre outras ações, a geração fotovoltaica de energia nos campi”, detalha Mendes. A geração de energia fotovoltaica é um dos frutos do trabalho da comissão UFMG Sustentável.

Além do DGA-PRA, a Fundação Christiano Ottoni vai apresentar os projetos da Escola de Engenharia relacionados ao tema, enquanto o Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica da Escola de Engenharia divulgará o curso de Especialização em Fontes Renováveis. Coordenada pelo professor Victor Mendes, a formação vai ao encontro das demandas recentes de produção e distribuição de energia limpa.


Avatar