Gustavo ZucchiIgor, Igor Gadelha

O presidente Lula ligou para o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), na manhã desta quarta-feira (31/5), e fez um apelo para que a Casa vote a medida provisória (MP) dos ministérios hoje.

A MP vence nesta quinta-feira (1º/6). Caso não seja votada a tempo, a estrutura dos 37 ministérios definida por Lula perderá a validade, voltando a valer o modelo de 23 pastas vigente durante o governo Jair Bolsonaro.

Lula ligou para Lira quando estava reunido no Palácio da Alvorada com os ministros Rui Costa (Casa Civil) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e com o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).

Na conversa, segundo apurou a coluna, o presidente da Câmara fez um relato resumido a Lula dos principais motivos pelos quais Lira e líderes partidários do Centrão estão irritados com o governo.

Além da demora na liberação de cargos e emendas, Lira reclamou que o time de articulação política do Palácio do Planalto estaria negociando diretamente com deputados, sem passar pelos líderes de cada sigla.

Na avaliação do presidente da Câmara, a negociação do Planalto no varejo, diretamente com deputados, significa um “desrespeito” e “desprestígio” com os líderes partidários da Casa.

Lira também reclamou com o presidente da República do fato de ministros do governo não estarem convidando deputados quando vão cumprir agendas oficiais nos estados desses parlamentares.

Na conversa, o petista e Lira combinaram de se encontrar pessoalmente ainda nesta quarta para uma conversa a sós. Até o início da tarde, porém, o encontro ainda não tinha horário marcado para acontecer.

Após terminar a ligação, o presidente da Câmara relatou a aliados estar impressionado com o nível de desconhecimento que Lula demonstrou sobre as reclamações do Congresso em relação ao governo.

Depois de falar com Lula, Lira ligou para Guimarães e pediu que o deputado petista fosse até a residência oficial, onde o presidente da Câmara estava reunido com líderes aliados.

O líder do governo chegou à residência acompanhado de Padilha. Os três tiveram uma conversa reservada na área externa da casa, enquanto os outros deputados aguardaram na parte interna.

Na conversa com Guimarães e Padilha, Lira sinalizou que garantiria a votação da MP da reestruturação. A expectativa do governo é de que, apesar das reclamações, o texto seja aprovado como saiu da comissão mista.

Líderes aliados de Lira disseram à coluna que a aprovação da MP deve ser a “última chance” que darão ao Planalto. Caso não tenham demandas atendidas, a promessa é abrir uma “guerra” contra o governo.

A MP seria votada na noite de terça-feira (30/5). Diante de ameaças de desfiguração da proposta, o próprio líder do governo pediu para adiar a votação da matéria. Lira, então, remarcou.

Metrópole


Avatar