Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

O PSB vai ratificar, nesta segunda-feira (4/7), o apoio a Alexandre Kalil (PSD) na corrida rumo ao governo mineiro. A aliança será selada durante a manhã, em um evento na sede do diretório socialista no estado, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, é aguardado no encontro para dar a “bênção” formal à união ao PSD.

Na semana passada, o PSB retirou a pré-candidatura de Saraiva Felipe e anunciou a intenção de compor a coalizão de Kalil. Além dos socialistas, o ex-prefeito de Belo Horizonte já acertou, a reboque de acordo com o PT de Luiz Inácio Lula da Silva, os apoios de PCdoB e PV. As duas legendas formam uma federação com os petistas.

Luciano Bivar, presidente nacional do União Brasil, tem simpatia por uma coligação com o pessedista. Eles chegaram a alinhar acordo, mas o diretório estadual do União tem reafirmado autonomia para decidir os rumos e mantém pontes de diálogo com Romeu Zema (Novo) e Marcus Pestana (PSDB).

Apesar da pré-candidatura de Saraiva, o apoio do PSB a Kalil era tido como iminente. No meio do mês passado, Geraldo Alckmin, indicado pelos socialistas para ser o vice-candidato na chapa presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já havia tecido elogios públicos ao pessedista.

“Será, se Deus quiser, um grande governador de Minas Gerais. De mãos dadas, Lula e Kalil. A melhor parceria que nós teremos para Minas poder avançar ainda mais, e com os olhos bem abertos”, disse, durante evento em Uberlândia, no Triângulo.

No fim de março, durante os dias finais da janela partidária, Kalil foi convidado a trocar o PSD pelo PSB. As tratativas, contudo, não prosperaram. Antes mesmo de ter uma pré-candidatura própria, o partido já ensaiava um apoio a Kalil.

Saída de Saraiva gera desgaste no PSB

O PSB oficializou a saída de Saraiva da disputa e o consequente apoio a Kalil na última terça (28). O ex-ministro da Saúde, no entanto, só falou publicamente que vai seguir com o ex-prefeito três dias depois. Segundo Saraiva, o hiato ocorreu porque ele optou por travar diálogos internos no partido nesse ínterim.

Na sexta (1), ao confirmar que estará com Kalil, o ex-ministro criticou o deputado federal Vilson da Fetaemg, que comanda o PSB em Minas. “O presidente estadual do partido dialogou pouco desde o lançamento da minha pré-candidatura”, afirmou.

Vilson, contudo, optou por não responder à queixa do correligionário.

Fora da disputa pelo Executivo estadual, o ex-emedebista Saraiva avalia tentar um retorno à Câmara dos Deputados.

Cenário polarizado

Há dois dias, o Datafolha divulgou pesquisa que aponta liderança de Zema em Minas. Ele tem 48%, contra 21% de Kalil. O terceiro pré-candidato mais bem cotado é o senador Carlos Viana (PL), com 4%.

O levantamento tem margem de erro de três pontos, para mais ou para menos, e foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números MG-07688/2022 e BR-08684/2022.

Fonte: Estado de Minas


Avatar

editor