Após dias de atenção ao Nordeste, os candidatos que disputam o segundo turno para a Presidência da República voltam seus esforços para os estados do Sudeste, onde estão os maiores colégios eleitorais do país.

No caso do petista Luiz Inácio Lula da Silva, o foco em Rio de Janeiro e Minas Gerais a partir de ontem (20/10) é uma forma de tentar barrar o crescimento de Jair Bolsonaro (PL), aferido em pesquisas recentes.

A campanha petista entende que Bolsonaro conta com vantagem nos estados do Sudeste, que concentram 43% do eleitorado, mas atua para evitar que ele aumente a distância de Lula. Por isso, o ex-presidente trocou uma viagem ao Norte do país, onde visitaria Manaus (AM), para voltar a Minas Gerais esta semana e visitar duas cidades, uma delas é Juiz de Fora, onde Bolsonaro sofreu um atentado a faca em 2018.

Antes disso, nesta quinta, Lula volta ao Rio de Janeiro, estado que é o berço eleitoral de Bolsonaro. O petista participará de duas caminhadas no estado. A primeira será em São Gonçalo (RJ), ao meio-dia. A cidade do interior do estado recebeu Bolsonaro na última terça-feira (18/10), para um comício.

Depois, no fim da tarde, Lula volta para a capital fluminense e faz uma caminhada no bairro de Padre Miguel, ao lado de aliados como o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD).

Nesta sexta (21/10), Lula volta a Minas e visita duas cidades importantes para a campanha e governadas por prefeitos petistas. Os detalhes das agendas ainda não foram confirmados, mas o petista deverá participar de atos de campanha em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, e em Juiz de Fora à tarde.

Lula chegará a Juiz de Fora três dias após a segunda viagem de Bolsonaro à cidade ao longo da campanha. Como foi lá que sofreu um atentado que quase o matou na campanha de 2018, Bolsonaro considera a cidade simbólica para sua trajetória e costuma se emocionar ao lembrar da facada que levou.

Para o PT, a presença de Lula na cidade pode ajudar a impedir que Bolsonaro, que tem o apoio do governador Romeu Zema (Novo), cresça na região.

No primeiro turno, Lula venceu com boa vantagem em Juiz de Fora. O petista teve 167.048 votos, o que representou 52,62%. Já Bolsonaro conseguiu 121.945 votos, ou 38,41% do total entre os juiz-foranos.

Nessa quarta-feira (19/10), Lula anunciou uma carta para evangélicos. O documento de aproximação do grupo religioso foi divulgado após semanas de especulações e resistência por parte de Lula.

Em busca de votos, a campanha do petista usou o documento para relembrar os feitos do seu governo pela liberdade religiosa.

O aceno ao público evangélico tem o objetivo de tentar reduzir a vantagem que Bolsonaro tem na intenção de votos entre o segmento. Pesquisa Datafolha divulgada nessa quarta mostra o atual presidente com 66% da preferência nesse grupo, contra 28% para o petista.


Avatar