O ex-presidente Jair Bolsonaro guardou os presentes recebidos durante o mandato, como joias de diamantes, em uma fazenda do ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet. A informação foi revelada pelo jornal O Estado de São Paulo.

Segundo o jornal, os itens guardados no local saíram pelas garagens privativas dos Palácios do Planalto e Alvorada.

O local no qual ficaram guardados os presentes é conhecido como “Fazenda Piquet”, e fica no Lago Sul.

O primeiro pedido de envio das caixas foi registrado no dia 7 de dezembro de 2022, mas um atraso fez com que os itens só saíssem do Palácio no dia 20 do de dezembro, pouco antes do fim do mandato de Bolsonaro.

Somente itens de alto valor foram encaminhados à propriedade de Piquet e tratados como bens pessoais. O Estadão apurou que outros objetos, como cartas e livros, foram enviados para o Arquivo Nacional do Rio de Janeiro e para a Biblioteca Nacional do Rio, como bens do Estado brasileiro.

O jornal procurou Nelson Piquet para comentar o caso, mas não houve resposta até a publicação da reportagem.

O ex-piloto é apoiador de Bolsonaro e doou R$ 200 mil ao PL, partido do ex-presidente, nas eleições do ano passado. O empresário já havia destinado R$ 501 mil diretamente à campanha do candidato à reeleição.

Em uma entrevista concedida à RedeTV!, ele detalhou a aproximação com o político.

Fiquei fã dele. Eu o conheci, ele me convidou para almoçar e a gente se deu bem. Nunca me envolvi em política na vida, hoje sou Bolsonaro até a morte. Se a gente não ajudar ele, se o povo não ajudar ele… eu acho que ele é a salvação do Brasil, afirmou Nelson Piquet.


Avatar

administrator