Em uma carta assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em abril, o mandatário convidou oficialmente presidentes sul-americanos para participarem de um “retiro” de chefes de Estado da região em Brasília.

O evento acontecerá na semana que vem no dia 30 e já tem presenças confirmadas como Gabriel Boric do Chile, Alberto Fernández da Argentina e possivelmente Nicolás Maduro da Venezuela, relata o G1.

A mídia afirma que todos os chefes de governo de países da América do Sul foram convidados a participar da cúpula, mas somente a presidente do Peru, Dina Boluarte, não havia respondido. O país enfrenta uma profunda crise desde que o então presidente, Pedro Castillo, foi preso após tentar fechar o Congresso local no ano passado.

O objetivo do encontro, de acordo com o Itamaraty, é promover o diálogo “franco” entre todos os países, identificando “denominadores comuns”, discutindo perspectivas para a região e “reativando a agenda de cooperação sul-americana em áreas-chave”.

Essas “áreas-chave”, de acordo com o governo brasileiro, são: saúde, mudança do clima, defesa, combate aos ilícitos transnacionais, infraestrutura e energia.

“É imperioso que voltemos a enxergar a América do Sul como região de paz e cooperação, capaz de gerar iniciativas concretas para fazer frente ao desafio, que todos compartilhamos e almejamos, do desenvolvimento sustentável com justiça social”, afirmou Lula, em mensagem publicada pelo Itamaraty.

Na carta enviada em abril aos chefes de Estado, o presidente destacou a seus homólogos o reposicionamento da América do Sul como ator no tabuleiro global e menciona os desafios geopolíticos do mundo atual.


Avatar