Um futuro com mais sustentabilidade ambiental e justiça social foi a mensagem de fim de ano da tradicional Cantata de Natal da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que chegou à sua 15ª edição em 2023. Para contribuir com esse objetivo, foi montado um estande para distribuição de mudas frutíferas, em parceria com a Associação dos Servidores do Legislativo do Estado de Minas Gerais (Aslemg), e de biofábricas de joaninhas, em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte.

As joaninhas são insetos que podem combater, de forma natural, organismos indesejáveis em hortas, jardins e pomares, substituindo agrotóxicos. Sua beleza também atraiu o interesse de quem apareceu para o show. “Eu peguei para usar nas plantinhas dos vasos que tenho em casa e também porque acho elas bonitinhas. Gosto das vermelhas e das coloridinhas também”, disse Júlia Braga, que já conhece a Cantata da Assembleia desde antes da pandemia de Covid-19 e, desta vez, trouxe sua irmã, Gisele, para ver o espetáculo.

Já o trio de amigas Anna Paula Rodrigues, Thainá Félix e Bianca Estela dos Santos escolheram mudas de suas frutas de preferência: abacate, manga e pitaya. Todas assistiram pela primeira vez à Cantata da Assembleia, mas Anna Paula, que é funcionária de recrutamento amplo no Parlamento mineiro, sabe bem o significado da distribuição de mudas e joaninhas neste evento de final de ano. “Faz parte da campanha de sustentabilidade”, afirmou.


Avatar