China pode afastar Estados Unidos do seu status de principais exportadores de armas do mundo, disse à Sputnik Wesley Hallman, vice-presidente da Associação Industrial Nacional de Defesa dos EUA.

Penso que nossos sistemas ainda são qualitativamente melhores, embora a China tenha reduzido o atraso nesse sentido”, observou Hallman.

De acordo com ele, o desenvolvimento ativo das exportações de armas da China é motivo de preocupação. O especialista ressaltou a insatisfação de muitos países com o complexo processo burocrático de aprovação das vendas de armas pelos EUA.

“Se você olhar para a China, verá que eles não têm que passar por esse tipo de dificuldade. Eles não fornecem [armas] para tantos [países] e provavelmente são mais livres em termos de disponibilidade de produção”, observou o especialista.

Temos restrições rigorosas sobre a transferência para [países] terceiros, restrições rígidas se aplicam para onde essas armas podem ser usadas”, acrescentou, enfatizando que o risco de uso de armas dos EUA em violação dos termos de venda “sempre existe”.

De acordo com o Instituto Internacional de Pesquisas para a Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês), os EUA representaram 39% das exportações mundiais de armas entre 2017 e 2021. Em segundo lugar ficou a Rússia com uma quota do mercado de 19%, ficando a China em quarto lugar com 4,6%.

Fonte: Sputnik


Avatar