O Ministério da Defesa da China comunicou que os exercícios militares em torno de Taiwan e os preparativos para uma guerra continuarão, e que as forças separatistas não podem cruzar linhas vermelhas.

O Exército de Libertação Popular (ELP) da China segue treinando as tropas e se preparando para um possível conflito em torno de Taiwan, disse o porta-voz do Ministério da Defesa chinês em uma entrevista coletiva de quinta-feira (25).

“Recentemente, o Comando do Teatro de Operações Oriental do Exército de Libertação Popular da China organizou patrulhas de combate conjuntas de rotina da Marinha e da Força Aérea na área marítima e no espaço aéreo ao redor da Ilha de Taiwan para aprimorar ainda mais o treinamento de combate das tropas e reforçar sua capacidade de defender a soberania do Estado e a integridade territorial”, disse Wu Qian.

Ele sublinhou que “o ELP está treinando continuamente as tropas e se preparando para a guerra e continuará efetuando manobras militares relevantes regularmente”.

“Taiwan é uma parte sagrada e inalienável da China, e a questão de Taiwan continua sendo o mais importante dos interesses centrais da República Popular da China. Estamos, com toda a sinceridade, firmemente comprometidos em fazer o máximo de esforços e buscar a perspectiva de reunificação pacífica”, disse.

No entanto, disse ele, no caso de “provocações e até mesmo de cruzamento de linhas vermelhas pelas forças separatistas, seremos forçados a recorrer a medidas resolutas para proteger a soberania do Estado e a integridade territorial”.

A situação em torno de Taiwan se agravou após a visita a Taiwan em agosto de 2022 de Nancy Pelosi, então presidente da Câmara dos Representantes dos EUA (2019-2022), apesar dos protestos da China, que viu a viagem como um apoio de Washington aos independentistas de Taiwan, e a seguir à qual realizou exercícios militares de grande escala em torno da ilha.


Avatar