Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Turismo bate recorde na economia mineira 

Entre 2018 e 2019, o Valor Adicionado Bruto (VAB) do turismo de Minas Gerais saltou de R$ 19,1 bilhões para R$ 22,3 bilhões (um crescimento corrente de 16,9%). Nesse intervalo de tempo, a totalidade do VAB estadual foi de R$ 538,8 bilhões para R$ 571,5 bilhões (um crescimento corrente de 6,1%). Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (SECULT) por meio do Observatório do Turismo de Minas Gerais e pela Fundação João Pinheiro (FJP), e fazem parte do estudo que também atualizou a metodologia de cálculo utilizada anteriormente. A metodologia de cálculo do PIB foi realizada a partir da revisão das atividades características do turismo constantes em um estudo contratado pela SECULT em 2009.

O crescimento nominal observado no VAB do turismo em 2019, na comparação de um ano em relação ao imediatamente anterior, foi o maior da série histórica 2010-2019, o que fez com que a representatividade das atividades características do turismo alcançasse a participação recorde no VAB total estadual em 2019, de 3,90%, superando o recorde anterior obtido em 2014, ano de realização da Copa do Mundo no Brasil, de 3,70%.

Na comparação entre 2010 e 2019, o VAB do turismo estadual passou de R$ 10,8 bilhões para R$ 22,3 bilhões, enquanto o VAB total de Minas Gerais passou de R$ 305,2 bilhões para R$ 571,5 bilhões.

De acordo com o pesquisador Thiago Almeida, da FJP, vale acrescentar que o pico de participação do VAB do turismo em nível estadual alcançado em 2019 é corroborado pela variação real dos índices de volume das diferentes atividades econômicas. “Enquanto, em 2019, o volume de VAB recuou 3,6% na agropecuária, pois foi um ano de baixa produtividade no ciclo bianual da cafeicultura e de redução na produção florestal, e 6,8% na indústria, devido ao colapso na produção mineral ocasionado pelo rompimento da barragem de Brumadinho e seus desdobramentos na atividade de extração mineral, o volume setorial associado às atividades de serviços, no qual se enquadram os segmentos turísticos, evoluíram positivamente”, destaca.

De fato, o índice de volume do VAB associado à totalidade dos serviços expandiu 2,2% em 2019 na economia mineira. Apenas a administração pública apresentou retração no índice de volume do valor agregado nesse ano no estado (-1,0%). De acordo com as Contas Regionais, atividades tipicamente turísticas, como os serviços prestados às famílias (artes, cultura, esporte, recreação etc.) e os serviços de alojamento e alimentação apresentaram expansão no volume de valor adicionado em 2019 de, respectivamente, 5,5% e 5,2%.

Turismo vem crescendo em todo o país

A subsecretária de Turismo da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Ane Souza, destacou a importância das informações para o setor turístico em Minas Gerais. “Os dados possibilitam compreender melhor o impacto econômico do turismo em Minas Gerais e a metodologia auxiliará no acompanhamento anual das informações. Além disso, permitem entender melhor o contexto dos setores econômicos nos municípios mineiros, auxiliando na elaboração de política públicas para o turismo”, explica a subsecretária.

No que diz respeito à composição do VAB do turismo em Minas Gerais, pode-se dizer que os serviços de alimentação fora do domicílio, que incluem bares, restaurantes, lanchonetes e similares, além dos serviços de alimentação para eventos e recepções, foram responsáveis por 45,6% do valor agregado pelas atividades turísticas no estado em 2019. Os aluguéis não imobiliários representaram 16,5% do total nesse período. Essa atividade inclui a locação de automóveis e outros meios de transporte sem condutor e os aluguéis dos equipamentos recreativos e esportivos utilizados pelos turistas. O transporte terrestre de passageiros (metro ferroviário, rodoviário e serviços de táxi) representou 13,3% do VAB turístico estadual em 2019. Os serviços prestados às famílias (que incluem as atividades artísticas, criativas e espetáculos, atividades de recreação e lazer como parques de diversão e parques temáticos, a produção e promoção de eventos esportivos, além de atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental como museus, jardins botânicos, zoológico e reservas ecológicas) foram responsáveis por 5,9% do valor agregado pelo turismo em Minas Gerais em 2019.

 As agências de viagens e organizações de eventos, incluindo os operadores turísticos e os serviços de reserva, contribuíram em 4,7% do VAB do turismo de Minas Gerais em 2019. Os serviços de alojamento e hospedagem (hotéis, apart-hotéis, albergues, camping, pensões e similares) representaram 4,5% do valor agregado associado ao turismo estadual no ano em questão. No mesmo período, os serviços de transporte aéreo de passageiros participaram em 3,8% do VAB total turístico estadual. A representatividade das atividades auxiliares do transporte em Minas Gerais (que incluem os terminais rodoviários e ferroviários e a operação dos aeroportos e campos de aterrissagem) foi de 3,0% em 2019. O comércio vinculado ao turismo, como artigos de viagem, bijuterias, artesanatos, obras de arte, pesca, camping e artigos esportivos, representou 2,6% do VAB turístico estadual no ano analisado. Finalmente, o transporte aquaviário de passageiros foi responsável por apenas 0,04% do valor agregado pelo turismo estadual em 2019, tendo em vista que essa atividade possui maior relevância em regiões litorâneas, o que não é o caso de Minas Gerais.

Municípios com maior participação do turismo em suas economias locais em 2019 – Em função da classificação dos serviços de transporte aéreo de passageiros como atividade turística, o município de Confins é o que apresenta a maior representatividade diante da presença do aeroporto internacional Tancredo Neves em seu território. O mesmo motivo explica a participação elevada observada em Goianá, onde se localiza o aeroporto Presidente Itamar Franco, também conhecido como aeroporto regional da Zona da Mata. O município de Tiradentes aparece na segunda colocação por ser um centro histórico de igrejas, monumentos e museus com a arte barroca, com atrações como a Matriz de Santo Antônio, o Santuário da Santíssima Trindade e a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, além da presença de restaurantes premiados e da ocorrência de festivais. Sapucaí-Mirim aparece na quarta posição do ranking com a presença do NR Resort Sapucaí-Mirim (Nosso Recanto), um complexo recreativo que recebe milhares de turistas e possui um dos maiores criatórios de trutas da América Latina. Em Santana do Riacho, o destaque fica por conta da Serra do Cipó, com a presença de picos, cachoeiras e paisagens deslumbrantes, além da estátua do Juquinha (um atrativo de visitação para os turistas). Os dados e análise completa podem ser acessados no Informativo Valor Adicionado Bruto (VAB) do Turismo em Minas Gerais no Período 2010-2019, disponível no site da Fundação João Pinheiro.

Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau

A diretoria do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau vem se reunindo para novos projetos para o desenvolvimento do turismo na capital mineira. A presidente Erica Drumond e diretoria se reuniu com os seus associados para o alinhamento de diversos ações e projetos do BHC&VB. Na ocasião, foram discutidas pautas de extrema importância, entre elas a reestruturação interna e a transformação da Casa do Turismo em um Bureau de Negócios.

Além disso, a entidade comemorou a associação de novos empreendimentos, que serão divulgados em breve através das redes sociais.

O BHC&VB tem o compromisso com entidades e empreendimentos parceiros e conta com o apoio de todos para que, juntos, façam melhor pelos mercados de turismo, eventos, cultura e entretenimento de BH.

Copa do Catar

Normalmente a Copa do Mundo de Futebol é realizada nos meses de junho e julho, mas este ano a Copa será de 21 de novembro a 18 de dezembro, o jogo da grande final. Nos meses de junho e julho, o calor é muito forte, passam de 40 graus no Catar, por isso os jogos serão em novembro e dezembro.

Quem deseja viajar para o Catar, ainda é possível se programar para assistir a Copa do Mundo do Catar, para assistir para o primeiro jogo ser disputado será preciso abrir os cofres, é muito dinheiro pra guardar na carteira, tem de ser no cofre mesmo. Para garantir um lugar na 22ª edição do Mundial, o principal pré-requisito para traçar um roteiro para acompanhar a Seleção Brasileira brigar pelo hexa campeonato é ter uma conta bancária bem forrada para conseguir cobrir os custos de ir ao mundo a Copa do Mundo.

Uma série de combinações fazem com que os valores sejam elevados. O Catar, por natureza, é um país com alto custo para os seus visitantes, o dólar está em patamares elevados e há a demanda por um grande evento.

Essas situações jogam contra quem quer realizar o sonho de ver uma Copa de pertinho. Para dar uma dimensão mais precisa dos valores envolvidos, é necessário traçar um panorama dos preços de passagens e ingressos, além de opções de estadia.

O primeiro passo é ter como chegar ao Catar. A maneira mais barata é desembarcar no Aeroporto Internacional de Hamad é pela Ethiopian Airways. Porém, será preciso ser um pouco flexível em relação às datas da viagem, são poucos voos.

Quem quer passar todo o período da Copa (21 de novembro a 18 de dezembro) no país sede terá de estender a estadia um pouco. No momento, para chegar antes da abertura e retornar depois da final, será preciso embarcar em 16 de novembro e marcar o voo de volta para 21 de dezembro. Os bilhetes nessas datas custam R$ 13.086,00.

Os voos de ida da companhia aérea ocorrem às segundas, quartas e sábados. Os de volta, às segundas e às quartas. Mesmo que o torcedor resolva viajar e voltar em um período no meio do calendário da Copa, os valores não sofrem grande alteração.

Outra empresa que faz a rota entre Brasil e as terras do Catar, é a Qatar Airways. A tradicional e mais importante empresa aérea do país, com voos de alto padrão, os preços são ainda mais elevados. Os trajetos de ida e volta estão saindo entre R$ 23.000,00 e R$ 25.000,00.

Se o preço das passagens assusta, os da hospedagem não são diferentes. Conseguir um lugar para ficar durante a Copa será tarefa para pesquisar bastante. O Catar possui uma extensa rede hoteleira, com empreendimentos requintados. A maioria das principais redes presentes nas cidades sedes está lotada durante todo o período do torneio.

Há diversas datas em que os sites especializados não apresentam opção de locais para hospedagem em nenhum dia entre o fim de novembro e o fim de dezembro. Nas poucas opções existentes, os valores superam os R$ 8 .000,00 a diária, não o período.

Sites de aluguel de residências, como Airbnb, apresentam um leque maior de opções, mas os preços não são convidativos. O valor mais baixo encontrado para toda a duração da Copa do Mundo ficou em cerca de R$ 9.000,00 para o aluguel de um quarto em uma residência.

Há também casas nababescas para serem locadas. Os valores variam bastante, mas ficam entre R$ 100 mil e R$ 500 mil.

Para quem quiser ser aventureiro, viver uma experiência diferente pode se hospedar de graça. A plataforma “Host a Fan”, que significa hospedar um fã, criada especialmente para esta edição do Mundial, serve para conectar torcedores e moradores locais dispostos a hospedarem turistas. Para participar do programa, é preciso ter mais de 18 anos e se cadastrar no site oficial. Os gastos com alimentação e transporte são por conta do viajante.

Os preços dos ingressos individuais para a primeira fase variam entre R$ 316,00 e R$ 1.020,00. Para a final, os valores vão de R$ 2.800,00 a R$ 7.440,00.

Mas a Fifa tem uma solução para quem tem dinheiro, mas não tem ingresso. Apesar do nome do programa, não espere amabilidades financeiras da Fifa. A entidade criou o “Hospitality Fifa” com pacotes de ingressos VIP. Eles são divididos em quatro tipos e cada um deles tem três subdivisões. Dentro de cada modalidade existe uma série de mordomias oferecidas como encontro com convidados, ambiente climatizado, serviço de buffet, entre outras “gracinhas” com o valor do ingresso.

O pacote para assistir aos três primeiros jogos do Brasil mais a partida das oitavas de final, terá de desembolar cerca der R$ 6.000,00 no pacote mais acessível. Se o torcedor estiver confiante no time amarelinho de Tite e quiser adquirir entradas para a fase de grupos e o jogo das quartas de final, o custo será de US$ 1,55 mil, cerca de R$ 8.000,00.

Se a opção for para comprar jogos individuais, ainda há entradas para as partidas contra Sérvia e Camarões por US$ 950, cerca de R$ 5.000,00 para cada partida. Para as oitavas, há bilhetes disponíveis por US$ 1,25 mil, mais de R$ 6.000,00 e quartas,  US$ 1,55 mil ,quase R$ 8 .000,00.

Para semifinais e finais há um pacote separado. Para acompanhar um jogo que decidirá um finalista e a decisão, o valor mais baixo é de  US$ 13,2 mil , cerca de R$ 66.000,00, já que o ingresso de custo mais acessível não está disponível. Para as duas semifinais e a final, o preço parte de US$ 9,1 mil , mais de R$ 45.000,00.

Ainda existe opção de comprar ingressos para ver os jogos de um determinado estádio.  O valor mais baixo de momento é para os jogos no Estádio de Lusail,  cidade construía para a Copa do Mundo, de US$ 28,4 mil , mais de R$ 142.000,00. Isso mesmo é muito 00000 para comprar o ingresso, hotel e curtir os jogos no Catar. Se estiver com o cofre cheio, cartão de crédito internacional bem recheado de dólares, euros, consulte a agência de viagem, site da FIFA e boa viagem, a bola vai rolar na Copa do Mundo de Futebol.

Festuris 2022

O Festuris Gramado acontece de 3 a 6 de novembro e vem registrando crescimento histórico nesta edição, ampliando a área de expositores e o número de marcas confirmadas. A partir desta semana, vamos apresentar mais detalhes sobre cada espaço segmentado e anunciar os expositores que já garantiram sua presença na feira deste ano.

Começamos pelo Espaço Luxury, que conta com um projeto conceito inovador e diversos serviços exclusivos para o expositor. O principal diferencial é a efetividade dos negócios através das reuniões agendadas com os melhores fornecedores e compradores do segmento do turismo de luxo. Nesta edição, o espaço também está sendo ampliado.

Entre as marcas confirmadas no Luxury até o momento estão: Kangaroo Tours, Atlântica Hospitality, Casa Hotéis, Club Med, Suíça, Buenos Aires, Hello Brazil, Mercatur, Unique, Saint Andrews, Seychelles, Tortuga Bay, Punta Cana, Fasano, Xmart, Fuso Hotel, Kuara Hotel, Turismo Francês, Coris, Belmond, DoubleTree By Hilton e Park Plaza 1903.

A sustentabilidade faz parte do nosso DNA. O trade turístico cada vez mais aposta nas práticas sustentáveis para seus produtos, destinos e serviços. No Green & Experience, segmento lançado na última edição, que abrimos espaço para empresas e destinos que acreditam no potencial do turismo verde. Entre os expositores confirmados na área conceito estarão São Francisco de Paula e Gravataí. Já no grande espaço, até o momento estão confirmados: Mato Grosso, Amazonas, Pará, Maranhão, Manaus, Bento Gonçalves, Região Costa Doce, Ametista do Sul e Amazon Jungle Palace.

Coluna Minas Turismo Gerais

Jornalista Sérgio Moreira @sergiomoreira63

Informações para [email protected]


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.