O senador Fabiano Contarato (PT-ES) protocolou uma notícia-crime no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo uma abertura de inquérito para investigar o também senador Magno Malta (PL-ES) pelo crime de racismo contra o jogador brasileiro Vinícius Jr., do Real Madrid.

Contarato reagiu a uma fala de Magno Malta a respeito do jogador. Ontem, Malta “cobrou” associações da causa animal para que “defendam os macacos” após os casos de racismo contra o jogador. As declarações foram feitas em audiência na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos).

O senador quer que Malta seja investigado por racismo. “Mesmo que se considere que a intenção do parlamentar era ofender especificamente o atleta e não a comunidade negra em geral, tal conduta ainda poderia configurar o crime de injúria racial, que, de acordo com a recente Lei n° 14.532 de 2023, é equiparada ao racismo e punida com reclusão de dois a cinco anos, além de multa.”

A petição de Contarato já foi apresentada e será distribuída a um relator no STF, que a encaminhará para a manifestação da PGR (Procuradoria-Geral da República). Somente então que a Corte decide se autoriza ou não as investigações contra Malta, que tem foro especial pelo mandato de senador.

“Como pai de duas crianças negras, não posso ignorar o que testemunhei hoje no Senado. Por isso, acionei o Supremo Tribunal Federal para que instaurasse inquérito policial para averiguar falas racistas do senador”, disse Fabiano Contarato no twitter.

O que disse Magno Malta?

Para o senador, a imprensa está “revitimizando” o jogador.

O político disse também que, “se fosse um jogador negro”, entraria em campo “com uma ‘leitoinhabranca nos braços” para mostrar que “não tem nada contra branco”.

A Executiva Nacional do PSOL também acionou o STF e o Conselho de Ética do Senado contra o parlamentar.

O jogador do Real Madrid foi alvo de racismo na partida entre Valencia e Real Madrid na última semana. Torcedores do Valencia começaram a gritar “mono” (“macaco” em espanhol) nos momentos em que o brasileiro esteve perto da lateral.


Avatar