Um dos fundadores do Novo, o empresário João Amoêdo disse nesta 3ª feira (18) que não pretende deixar o partido. Segundo ele, construir a sigla “deu muito trabalho”.

“Não pretendo me desfiliar do Novo. Deu muito trabalho [para construir o partido], e acredito que o Novo é uma plataforma diferenciada para mudanças na política brasileira”, declarou em entrevista ao portal de notícias Metrópoles.

No sábado (15), Amoêdo declarou apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no 2º turno das eleições. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, disse que o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL), “é um governante autocrático que se coloca acima das instituições”.

Os fatos, a história recente e o resultado do 1º turno, que fortaleceram a base de apoio de Bolsonaro, me levam à conclusão de que o atual presidente apresenta um risco substancialmente maior”, justificou.

Depois de declarar voto em Lula, João Amoêdo passou a ser criticado por integrantes do Novo. O partido também se pronunciou sobre o assunto, afirmando que o posicionamento de Amoêdo “não representa” e “vai contra tudo” o que a sigla sempre defendeu.

A triste declaração constrange a instituição, que se mantém coerente com seus princípios e valores e reforça que Amoêdo não faz mais parte do corpo diretivo do partido desde março de 2020”, disse o Novo em seu perfil no Twitter.


Avatar