Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Marco Tulio da Silva
(advogado, economista e vice-presidente da Associação dos Funcionários Fiscais de MG – AFFEMG)

Costuma-se “comemorar” no Brasil em 02 de junho o dia sem impostos, mas o que se comemora
neste dia? Vamos aprofundar na análise do tema do “dia sem impostos”!

Na era moderna toda sociedade organizada tem como base a presença do Estado. É que as
sociedades reconheceram o Estado como necessário para manter a estabilidade social (pacto
social) e garantir direitos. Daí decorre que não existe direitos sem Estado. Este ente (Estado)
precisa de recursos (tributos) para exercer sua função social, daí o conceito de Estado Fiscal.

Desta forma não existe Estado sem tributos, nem direitos sem Estado. Com este referencial
teórico fica evidenciado que defender dia sem imposto é defender dia sem Estado e dia sem
direitos, ou seja, é defender a barbárie, o que não é ou não deveria ser digno de comemoração
e aplausos.

Claro que cada um é livre para se expressar, mas que expresse esclarecido e consciente. Assim,
se ignorar os fatos, será uma opção, uma escolha, não um desconhecimento.

Sigamos! Como o Estado Fiscal depende dos impostos, dia sem imposto implica dia sem Estado,
sem escolas públicas, sem funcionários que organizam o trânsito, sem policiais para manter um
nível mínimo de segurança, sem vacinação, postos de saúde e hospitais públicos, sem programas
de transferência de rendas, sem leis e sem sistema judiciário, sem coleta de lixo, sem iluminação
pública, sem controle do tráfego aéreo, sem forças de segurança e uma série de outros serviços
prestados silenciosa e diariamente pelos servidores públicos para todos os cidadãos.

Como você acha que seria uma sociedade assim, sem impostos e sem Estado? Uma barbárie,
como na idade média. Ainda que o objetivo explícito da campanha “Um dia sem impostos” que
muitos defendem, seja divulgar que os preços seriam menores se retirados os impostos (visão
individualista e nada solidária) o objetivo implícito só pode ser o de enfraquecer ainda mais a
sociedade e aumentar as desigualdades, sobre tema vale visitar o site
https://www.oxfam.org.br/um-retrato-das-desigualdades-brasileiras/. Afinal, sem os impostos
cobrados não há Estado, sem Estado não há direitos, todos os serviços públicos não serão
prestados, e a maioria da sociedade será prejudicada. O benefício imediato pode até ser
prazeroso para o bolso, mas os efeitos colaterais são muitos e duradouros.

Claro que pagar preços menores faz brilhar os olhos de todos, mas daí a defender dia sem
impostos vendendo a ilusão de que sem impostos a vida seria melhor é sinal de
desconhecimento ou má fé.

A questão tributária é bem mais complexa e não comporta soluções simplistas. A carga tributária
brasileira, cerca de 31,64% do PIB em 2020 segundo dados do site
https://tesourotransparente.gov.br/, pode até ser repensada, mas isso depende da sociedade
que queremos. O problema maior da carga tributária brasileira situa-se em quem paga e quem
não paga a conta (a carga tributária do rico é bem menor que a carga tributária do pobre).

Diferentemente do que predomina no mundo, no Brasil a carga tributária é calcada nos tributos
sobre consumo, nos quais os menos aquinhoados pagam mais. No modelo brasileiro é baixa ou
nula a tributação sobre Lucros e Dividendos, além de existir uma grande quantidade de
desarrazoadas renúncias fiscais (gasto tributário). É urgente que o Sistema Tributário Brasileiro,
assim como a divisão mais equitativa dos recursos arrecadados (gasto público), seja revisto e
reformado. Precisamos de um sistema tributário melhor, mais justo, e de um gasto público de
qualidade.

Não é de um Dia sem impostos que precisamos. O que precisamos é dividir melhor a conta e
termos mais solidariedade, sobre o tema vale visitar o site https://praserjusto.com.br/. Muitos
dos que defendem o dia sem impostos podem pagar por plano de saúde, escola particular, usam
carros ou até helicópteros, frequentam restaurantes de luxo, desfrutam de férias em resorts,
mas a realidade da maior parte dos brasileiros é outra, e para esta parcela da população um dia
sem impostos é mera ilusão, de efeito amargo.

Dia sem impostos é dia sem Estado, é dia sem solidariedade, é dia sem pensar nos 90% da
população brasileira que dependem diariamente dos serviços públicos de educação, saúde,
alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, previdência social, etc.

Agora que não cabe mais alegar desconhecimento, você vai mesmo escolher comemorar dia
sem impostos? Eu não!


Avatar

editor