O ministro da Educação, Camilo Santana, afirmou nesta segunda-feira (6) que estudantes com dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) poderão começar a renegociar o saldo já nesta terça-feira (7) nas agências do Banco do Brasil e da Caixa.

Ao todo, o governo estima que 1,24 milhão de universitários ou formados poderão renegociar as dívidas – incluindo cerca de 300 mil beneficiários do Cadastro Único.

A dívida a ser renegociada é estimada em R$ 54 bilhões.

O Fies é um programa do governo federal que financia mensalidades em instituições de ensino superior privadas, a partir da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Diferentemente do Prouni, outro programa do governo, o Fies não oferece bolsas de estudos, e sim um “empréstimo“. Depois de concluir a graduação, o candidato deverá quitar a dívida, em parcelas proporcionais à sua renda.

Camilo anunciou o início da renegociação após uma reunião no Palácio do Planalto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e representantes da Caixa, do Banco do Brasil e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Ainda segundo o ministro da Educação, o governo publicará uma resolução para permitir que o atendimento comece na terça. Ele ressaltou a pressa em abrir a renegociação o quanto antes.

Segundo ele, o atendimento também poderá ser por telefone. “Tanto a Caixa quanto o Banco do Brasil vão realizar os atendimentos via 0800, por telefone também. E estão preparando o sistema para que a gente possa operacionalizar as renegociações a partir já deste mês”, explicou.

De acordo com o governo, a depender do contrato e das condições do aluno, a renegociação pode abater até 99% do montante principal da dívida e 100% dos juros e multa.

“A preocupação do presidente é dar celeridade e urgência para que a gente possa atender esses mais de 1,2 milhão de clientes do Fies que vão ter o direito de renegociar suas dívidas numa situação muito boa, favorável para essas pessoas”, disse Camilo.


Avatar