Usuários da Farmácia de Minas, em Belo Horizonte, denunciam a falta de dois medicamentos contra epilepsia e mudanças repentinas de humor. Os remédios, que podem custar até mais de R$ 250,00, estariam ausentes das prateleiras há alguns meses, atrapalhando o tratamento de muitos pacientes.

De acordo com as denúncias, são dois medicamentos em falta: Lamotrigina 100mg e Levetiracetam 750mg. O primeiro é um antiepilético usado no tratamento de crises convulsivas, mudanças de humor e transtorno bipolar. Já o segundo é eficaz em crises parciais de epilepsia.

Não é a primeira vez que pacientes fazem reclamações sobre a falta destes remédios na Farmácia de Minas.

A situação foi denunciada por moradores de Belo Horizonte em setembro deste ano. Uma das pacientes, identificadas como Karoline, afirma que o problema se arrasta desde o primeiro semestre de 2023: “A gente vai lá, mas nunca encontra o remédio. Há seis meses, a gente vai lá pegar, e não encontra”.

Governo de Minas se posiciona

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais confirmou as intercorrências na entrega dos medicamentos à Farmácia de Minas. Segundo a pasta, o fornecedor já foi notificado e tão logo os medicamentos sejam entregues no almoxarifado da SES-MG, serão distribuídos para as regionais de Saúde.


Avatar