O Atlético completou 13 rodadas fora do G-6, o pelotão da Copa Libertadores, após a derrota desse sábado para os reservas do Flamengo por 1 a 0. Com 47 pontos, o alvinegro ocupa a sétima colocação e corre o risco de perder posição, se for superado pelo Fortaleza, adversário do próximo dia 24, às 20h, no Castelão.

O time cearense soma 44 e, com triunfo nesse confronto direto, levaria vantagem no número de vitórias.

“Faltam seis jogos. Segunda-feira (24), em Fortaleza, é um jogo super decisivo. A gente tem de fazer por onde para vencer. Vamos trabalhar bem para fazer uma equipe ofensiva, como a gente sempre joga”, projeta o técnico Cuca.

Para bater o Fortaleza, o Galo precisará superar, primeiramente, a própria campanha ruim no returno da Série A do Campeonato Brasileiro. Em 13, venceu quatro, empatou três e perdeu seis.

Considerando apenas a segunda fase da competição, o alvinegro ocupa a 11ª colocação, com 38,46% de desempenho.

Cuca reconhece a fase adversa, no entanto, admite não ter explicação para o momento.

“Não é fácil ter uma resposta. A gente tem um aproveitamento no segundo turno muito ruim, e não tem um culpado. Somos todos culpados, não existe esse ou aquele. Somos todos nós, a começar por mim. Ninguém está satisfeito com os resultados, mesmo tendo desempenhos bons. Mas, temos de ver as coisas com otimismo. Vamos buscar essa vaga para Libertadores direta e vamos conseguir”, aposta o comandante.


Avatar