Durante a cerimônia de abertura das atividades da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta quinta-feira (1º/2), o governador Romeu Zema, do partido Novo, fez elogios ao presidente Tadeu Martins Leite, conhecido como Tadeuzinho (MDB), enquanto lançava críticas a Rodrigo Pacheco (PSD) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O foco das declarações foi a busca por alternativas ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) para a dívida do estado, que Zema enfatizou como uma preocupação central.

O governador destacou a necessidade de resolver a dívida de aproximadamente R$ 162 bilhões, referindo-se a ela como um problema do “passado”. Ele criticou indiretamente a sugestão apresentada por Pacheco a Lula, ressaltando que a opção pelo RRF é considerada uma alternativa legal e alcançável desde 2019.

Além disso, Zema expressou abertura ao diálogo e conciliação, inclusive em relação às propostas recentes de Pacheco. Em sua crítica, o governador recordou as trocas públicas de críticas entre eles em dezembro passado, quando Pacheco acusou Zema de querer resolver algo em cinco anos que não conseguiu solucionar.

No que diz respeito ao governo Lula, Zema cobrou uma solução mais rápida e definitiva para evitar um colapso do estado, enfatizando a urgência de enfrentar a questão da dívida com a União. Ele mencionou a criação de grupos de trabalho para discutir alternativas, incluindo a federalização de empresas como Cemig, Copasa e Codemig.

Ao final, Zema elogiou Tadeuzinho por seu entusiasmo na interlocução com o governo federal e apelou à colaboração da ALMG para superar os obstáculos. O presidente da ALMG, Tadeuzinho, expressou a busca por uma solução consistente alinhada às necessidades do povo mineiro em cooperação com o Congresso Nacional e os governos federal e estadual.


Avatar