O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assina, nesta segunda-feira (22/01), decreto que cria a Estratégia Nacional de Disseminação do BIM (Modelagem de Informação da Construção). O objetivo é impulsionar o uso da tecnologia BIM no Brasil, um conjunto de softwares e ferramentas que promovem a transformação digital no setor da construção, resultando em redução de custos e de tempo de obras, além de contribuir para a descarbonização do setor de construção.

A Estratégia BIM-BR faz parte das ações da Nova Indústria Brasil, com o propósito de fortalecer as cadeias produtivas nacionais de construção e obras de infraestrutura com o uso de sistemas construtivos digitais. Além disso, a estratégia também está prevista no Novo PAC, que prevê o uso do BIM em obras estratégicas.

O uso do BIM em obras públicas é uma das três grandes ações da Estratégia BIM-BR, que vai estruturar o setor público para uso da modelagem, em conformidade com a nova lei de licitações e contratos.

A segunda ação terá como foco a capacitação e formação profissional em BIM, aproximando a política educacional às necessidades de transformação digital da construção civil, buscando a adequação da grade curricular dos cursos das engenharias em nível de graduação, pós-graduação e ensino profissionalizante.

Além disso, a estratégia apoiará o desenvolvimento de novas aplicações em BIM, fomentando a concorrência e criando condições para que mais desenvolvedores alcancem o mercado de softwares de modelagem de informação da construção.

COMITÊ GESTOR — O Comitê Gestor da estratégia será presidido pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e composto por representantes da Casa Civil e dos ministérios das Cidades, da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Defesa; da Educação; da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos; de Portos e Aeroportos; e dos Transportes.

O QUE É O BIM — BIM é a sigla em inglês para ” Building Information Modelling “ – em português: Modelagem de Informação da Construção. Trata-se conjunto integrado de processos e tecnologias que permite criar, utilizar, atualizar e compartilhar, colaborativamente, modelos digitais de uma construção, de forma a servir potencialmente a todos os participantes do empreendimento durante todo o ciclo de vida da construção.

Em termos simples, é uma “construção virtual” antes da efetiva execução da obra. Inclusive, é possível simular a pegada de carbono decorrente da implementação de cada projeto, permitindo a comparação dos impactos ambientais de maneira facilitada.

A tecnologia é um conjunto de softwares e ferramentas que permitem a criação, utilização, atualização e compartilhamento de modelos digitais de construções, de forma colaborativa entre todos os participantes do empreendimento.


Avatar