Israel rejeitou um novo acordo para soltura de reféns proposto pelo grupo palestino Hamas que estabeleceria um cessar-fogo a longo prazo, com a retirada gradual das tropas israelenses da Faixa de Gaza, revelou o portal Axios nesta segunda-feira (1º), citando fontes.

A proposta foi feita a Israel através de mediadores do Catar e do Egito no domingo (31), de acordo com duas autoridades israelenses e outra fonte familiarizada com o assunto.

De acordo com as informações, o Hamas propôs pôr fim às hostilidades em três etapas. Destaca-se que cada uma inclui uma pausa nos combates por mais de um mês em troca da libertação dos reféns mantidos pelo grupo.

Na primeira etapa, Israel teria que começar a retirar as suas tropas de Gaza em troca da libertação de cerca de 40 reféns. Alegadamente, o acordo envolveria a libertação de um número indeterminado de prisioneiros palestinos, de acordo com os relatos.

Sob os termos do acordo relatado, ambos os lados deveriam dar um basta à guerra, que vem se alastrando desde o início de outubro, assim que a terceira etapa fosse implementada, enquanto o Hamas libertaria os soldados israelenses capturados.

Autoridades israelenses discutiram a proposta, mas acabaram considerando-a inaceitável, diz o artigo. Um oficial israelense disse ao Axios que a proposta era “totalmente inadequada e pedimos aos mediadores para tentar produzir uma proposta mais aceitável”. No entanto, as fontes da mídia disseram que a proposta significa que o Hamas está pronto para negociar.


Avatar