Os navios mercantes têm sido atacados por houthis na região do mar Vermelho, com o Pentágono pretendendo responder mais agressivamente. No entanto, tal resposta teria um lado negativo.

As autoridades norte-americanas temem que os ataques às bases militares do movimento Ansar Allah, ou houthis, no norte do Iêmen, possam favorecer o Irã, escreveu no domingo (31) o jornal norte-americano The New York Times.

Ele indica que, embora os EUA tenham derrubado mísseis e drones dos houthis e criado uma força-tarefa para proteger a navegação, eles não se envolveram “diretamente“. De acordo com o jornal, o Pentágono elaborou planos detalhados para atacar bases de mísseis e drones no Iêmen.

Mas há uma certa preocupação de que tais ataques [contra as bases houthis no Iêmen] contribuam para o plano de jogo do Irã”, nota o New York Times. A mídia afirma que Joe Biden, presidente dos EUA, tem sido “relutante” em ordenar ataques às bases dos houthis no Iêmen, e que essa cautela também se deve ao fato de que a Arábia Saudita quer deixar para trás o “conflito dispendioso” no Iêmen.

“Uma escalada do conflito com os houthis, que controlam a capital do Iêmen, Sanaa, e grande parte do norte do país, poderia arruinar a trégua cuidadosamente negociada” entre os houthis e a Arábia Saudita, sublinha o jornal.


Avatar