A primeira-dama, Janja Lula da Silva, se manifestou na manhã de hoje sobre o ataque hacker que sofreu em seu perfil no X (antigo Twitter).

Janja afirmou que sofreu “o que muitas mulheres sofrem diariamente”. “É comprovado que nós, mulheres, somos as que mais sofrem com os ataques de ódio aqui nas redes”, escreveu ela no Instagram.

A primeira-dama afirmou que o desrespeito “chegou a outro patamar”. “Eu já estou acostumada com ataques na internet, por mais triste que seja se acostumar com algo tão absurdo. Mas a realidade é que a internet é um espaço potente para o bem e para o mal”, acrescentou Janja. Leia a íntegra da manifestação no fim desse texto.

PF abriu investigação e AGU enviou notificação extrajudicial ao X. Ainda na noite de ontem, a PF disse que começou a investigar o episódio e a AGU (Advocacia-Geral da União) acionou o X para que os responsáveis pelo ciberataque sejam identificados.

Crimes contra Lula. Na notificação da AGU, o órgão destaca que os autores da invasão usaram indevidamente o perfil de Janja para cometer crimes contra a honra do presidente da República.

Investigação nos elementos digitais. A AGU também requer a preservação de todos os registros relacionados à conta, como os logs de acesso —uma espécie de relatório cronológico de atividades — e endereços IP, além de quaisquer outras informações relevantes.

Identificação do suspeito. O diretor-geral da PF, Andrei Passos, destacou que apenas a investigação poderá confirmar se a identidade do suspeito é a mesma que teve o nome publicado em umas das mensagens. A Diretoria de Crimes Cibernéticos irá instaurar inquérito policial nesta terça-feira (12) para aprofundar a apuração.

Publicações no perfil de Janja citavam Lula e Moraes

As publicações na conta da socióloga incluíam frases como “Super Xandão, presidente do Brasil em 2026″; pedidos para seguir uma conta que se define como anticomunista; e a frase “Eu apoio o mensalão”. A conta de Janja na plataforma tem 1,2 milhão de seguidores.

O hacker também fez postagens chamando o presidente Lula (PT) de “vagabundo” e, se passando pela primeira-dama, afirmou que o petista é traído por ela com o jogador Neymar. O hacker também publicou textos de cunho sexual e ofensivo às mulheres.

Em outra publicação, Moraes é chamado de “bandido”. “Logo vai sofrer impeachment. Nada que ele faça vai impedir a gente de falar a verdade, enquanto tenho tempo falarei mais e mais”, escreveu o invasor na conta da primeira-dama.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também foi citado em uma das publicações. “Bolsonaro pode denunciar essa pu**. Eu te amo. Bolsonaro mito.”

Leia a íntegra da manifestação de Janja

Na noite de ontem, os ataques de ódio e o desrespeito que eu sofro diariamente chegaram a outro patamar. Minha conta do X foi hackeada e, por minutos intermináveis, foram publicadas mensagens misóginas e violentas contra mim. Posts machistas e criminosos, típicos de quem despreza as mulheres, a convivência em sociedade, a democracia e a lei.

Eu já estou acostumada com ataques na internet, por mais triste que seja se acostumar com algo tão absurdo. Mas a realidade é que a internet é um espaço potente para o bem e para o mal. E é comprovado que nós, mulheres, somos as que mais sofrem com os ataques de ódio aqui nas redes. O que eu sofri ontem é o que muitas mulheres sofrem diariamente.

Mulheres no Brasil inteiro são vítimas de ataques machistas, que tomam conta das redes sociais e muitas vezes saem dela, acabando em agressões físicas e feminicídios. Milhares de mulheres perdem ou até tiram a própria vida a partir de ataques como o que sofri na noite de ontem.

A Polícia Federal e a plataforma X foram acionados imediatamente e estão tomando as devidas providências. O ódio, a intolerância e a misoginia precisam ser combatidos e, os responsáveis, punidos.

Agradeço todas as manifestações de solidariedade e apoio que tenho recebido desde então. Eu sei, e é sempre bom relembrar, que não estamos sozinhas.


Avatar