Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

A dois meses da eleição de 2 de outubro, é de 12 pontos percentuais a vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), na nova pesquisa Genial/Quaest. O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (3), mostra Lula com 44% das intenções de voto no primeiro turno, contra 32% de Bolsonaro.

Outros quatro pré-candidatos estão empatados dentro da margem de erro: Ciro Gomes (PDT, com 5%); André Janones (Avante, 2%); Simone Tebet (MDB, 2%); e Pablo Marçal (Pros, 1%). Não pontuaram Felipe d’Avila (Novo), José Maria Eymael (DC), Leonardo Péricles (UP), Luciano Bivar (União Brasil), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU).

A pesquisa foi a campo antes de Bivar anunciar ter desistido da corrida presidencial. Por isso, seu nome aparece na sondagem. Janones, que teve o mandato cassado nesta terça-feira (2), também deve abrir mão da eleição ao Planalto, para apoiar a candidatura de Lula.

Com esse cenário, Lula teria 51% dos votos válidos e poderia vencer a eleição já no primeiro turno, em 2 de outubro. Porém, essa dianteira do petista sobre o conjunto dos candidatos é numérico. Tecnicamente, há empate entre Lula e a soma de seus adversários.

Com as desistências de Bivar e Janones, porém, é possível que Lula amplie sua margem de vitória em um único turno. Em contrapartida, as medidas eleitoreiras de Bolsonaro já têm ajudado a reduzir a rejeição a seu governo, que caiu quatro pontos (de 47% para 43%) em um mês. Os beneficiários do Auxílio Brasil formam o segmento em que o presidente mais se recuperou.

“Mesmo com a melhora, a situação de Bolsonaro comparativamente aos presidentes que buscaram a reeleição ainda é bem negativa”, diz o cientista político Felipe Nunes, diretor da Genial/Quaest. “FHC em 1998 chegou no começo de agosto com rejeição de 18%, Lula em 2006 com 22% e Dilma em 2014 com 24%. Bolsonaro tem o dobro da rejeição deles.”

Num eventual segundo turno, Bolsonaro subiu de 34% para 37%, mas Lula segue com mais da metade das intenções de voto (51%). “Embora Lula continue sendo o favorito, o cenário parece mais apertado do que a dois meses”, aponta Nunes.

A pesquisa Genial/Quaest, feita entre os dias 28 e 31 de julho, ouviu 2 mil pessoas, presencialmente, em 120 municípios de todas as regiões do País. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

 

 


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.